Téo Vilela lança Rodrigo Cunha para Senado

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/02/TEO.jpgTéo Vilela lança Rodrigo Cunha para Senado

Registrei aqui que a desistência de Téo Vilela em disputar as eleições deste ano “facilitou” a vida de Rui Palmeira. Eventual candidato a governador, o prefeito de Maceió poderia ficar à vontade, assim, para montar sua chapa majoritária com Benedito de Lira e Maurício Quintella.

Não é bem assim. Em entrevista na TV Mar, nessa segunda-feira, 19, o ex-governador lançou o nome de Rodrigo Cunha para o Senado e prometeu lutar para garantir vaga na chapa.

Na conversa com o jornalista Flávio Gomes de Barros, apresentador do programa Conjuntura, Téo Vilela disse que fez uma “escolha de vida”. Mesmo reafirmado que “não serei candidato, nestas eleições”, Téo Vilela reafirmou que não abandou a política e adiantou que vai

“Vou trabalhar, claro, respeitando a liderança do Rui Palmeira, onde puder “para que o Rodrigo Cunha possa ocupar a cadeira que foi ocupada por meu pai e por mim””.

Vilela reconhece que não será simples emplacar Cunha como candidato ao Senado: “o comando dessa montagem do palanque será do Rui Palmeira, que é possivelmente candidato a governador. Se não for, aí volta para o partido e fica mais fácil de um interferir”.

Téo Vilela, por telefone, ratificou o que disse na TV Mar: vai trabalhar para lançar Rodrigo Cunha ao Senado e ajudar na reeleição de Pedro Vilela (depois conto mais) para deputado federal.

A volta do complicador matemático

O fato de Téo Vilela desistir da disputa ao Senado, num primeiro momento, facilitaria a vida do candidato a governador Rui Palmeira. Com duas vagas, eram três nomes para escolher como companheiros de chapa ao Senado. Além de Téo, Benedito de Lira e Maurício Quintella. O problema agora voltou, não necessariamente na mesma proporção – deputado estadual Rodrigo Cunha, tem perfil diferente, poderia ser mais “leve” no palanque, mas certamente enfrentará resistências de setores mais tradicionais que tem força no grupo do prefeito.

Quebrando o silêncio

Foi o jornalista Flávio Gomes de Barros, apresentador do programa Conjuntura, da TV Mar, que fez a primeira entrevista ao vivo com o ex-governador, depois de mais de três anos: “é a primeira vez, Flávio, que falo numa entrevista, desde que deixei de ser governador”, disse Vilela.

Na entrevista, Vilela falou sobre o discurso de Renan Filho, na abertura do ano legislativo na ALE, na semana passada: “não vi não, mas acho que o governador não gostou da minha decisão de não disputar o Senado, soube que ele estava muito mal humorado”, descontraiu Vilela.

Edivaldo Junior

Author Description

Vanessa Ataíde

Sem Comentários ainda.

Participe do debate