Extinção de empresas em Alagoas cai 17% em abril

No mês, foram fechados 711 negócios, enquanto 861 empreendimentos foram extintos em março

O número de empresas fechadas em abril caiu 17,43% em relação ao quantitativo registrado em março de 2016. No período, foram extintos 711 empreendimentos, enquanto, no terceiro mês do ano, 861 empresas foram baixadas em Alagoas. Os números são registrados pela Junta Comercial do Estado de Alagoas (Juceal), nos quais foram analisadas as extinções referentes aos Números de Identificação do Registro da Empresara (Nire) dentro do banco de dados do órgão.

A maior diminuição foi observada na extinção dos Microempreendedores Individuais (MEIs), caindo de 616 em março para 512 negócios extintos em abril. Outro ponto de destaque nos períodos comparados foi registrado em relação às empresas consideradas sem porte – negócios com renda bruta anual superior a R$ 3,6 milhões -, que apresentaram uma queda de 32,6% nas extinções. Quanto a estas empresas, ainda foi verificado crescimento nas constituições, passando de 43 em março para 56 negócios criados em abril.

Analisando ainda o porte empresarial, foram registradas no quarto mês do ano as extinções de 153 microempresas (ME) – negócios com renda bruta anual inferior ou igual a R$ 360 mil – e de 27 empresas de pequeno porte (EPP) – negócios com renda bruta anual superior a R$ 360 mil e inferior a R$ 3,6 milhões.

Quando verificadas as seções de atividades econômicas, foi registrado crescimento de fechamentos em apenas dois ramos: informação e comunicação; e atividades administrativas e serviços complementares. Em abril, a lista de seções com mais extinções é composta por comércio (371 empresas), alojamento e alimentação (57 empresas) e indústrias de transformação (57 empresas).

Comparando ainda março e abril, a baixa de empreendimentos apresentou queda ou se manteve estável em 81 dos 102 municípios alagoanos. No quarto mês do ano, a lista de cidades com maiores quantitativos de fechamentos é composta por Maceió (349 empreendimentos), Arapiraca (72 empreendimentos), Rio Largo (28 empreendimentos), São Miguel dos Campos (19 empreendimentos) e Penedo (14 empreendimentos).

Constituição empresarial
Assim como observado na extinção de empresas, a constituição de negócios apresentou um decréscimo quando comparados os meses de março e abril, havendo uma diminuição de 9,13%. Contudo, o quantitativo registrado no quarto mês do ano – 1.683 empresas – ainda foi superior a média de aberturas em 2016, igual a 1.675 empreendimentos por mês.

De acordo com o porte empresarial, o total de constituições em abril é subdivido em 342 MEs, 59 EPPs, 56 empresas consideradas sem porte e 1.226 MEIs – tipo empresarial legalizado como pequeno empresário com faturamento máximo de R$ 60 mil por ano e sem participação em outra empresa como sócio ou titular.

Quanto às seções de atividades econômicas, os maiores quantitativos em relação à constituição são observados em comércio (731 empresas), alojamento e alimentação (166 empresas) e indústrias de transformação (138 empresas) e transporte, armazenagem e correio (122 empresas).

Sob a perspectiva da abertura de negócios nas cidades de Alagoas, os maiores valores são verificados em Maceió (777 empreendimentos), Arapiraca (146 empreendimentos), Palmeira dos Índios (47 empreendimentos), Rio Largo (46 empreendimentos) e Marechal Deodoro (35 empreendimentos).


Ascom Juceal

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa