Rosiana Beltrão deixa o porto para ‘navegar’ em busca de votos

Rosiana Beltrão já decidiu. Na noite desta segunda-feira, 31, ela confirmou ao blog, em primeira mão, que vai se desincompatibilizar no próximo dia 4 para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa de Alagoas.

Atualmente Rosiana é a administradora do Porto de Maceió e conseguiu dar visibilidade ao cargo, a partir da transformação do local num grande centro industrial. Durante a sua gestão a Tomé-Ferrostal se instalou no Porto, gerando mais de dois mil empregos diretos. Outra indústria em construção no porto é a Jaraguá Naval, que deve gerar mais de 500 empregos. Rosiana também deixa pronto projetos para construção de um terminal de passageiros e aprofundamento do calado no porto.

Nos últimos dias especulava-se que Rosiana deixaria o cargo para disputar um mandato – provavelmente de deputada estadual.

Agora ela confirma que vai navegar pelos mares dos votos: “Foi uma decisão pensada, discutida com meu partido (PT). Eu quero ficar em Alagoas, continuar aqui no estado, servindo minha gente. Gostei muito da experiência no porto e quero colocar meu nome à disposição dos alagoanos”, aponta.

A experiência como prefeita de Feliz Deserto e presidente da AMA, somadas a experiência na assessoria do ex-presidente Lula em Brasília e a administração do Porto de Maceió, são alguns dos itens que credenciam Rosiana para a disputa por uma vaga na ALE. Mas seu nome continua lembrado para a chapa majoritária. Tem gente no PT que vê espaço para a vaga de vice.

Continuando

Rosiana já definiu sua saída com o ministro dos Portos, Antonio Henrique Pinheiro Silveira. Sua expectativa é que ele escolha um nome técnico que dê continuidade ao trabalho que ela vem desenvolvendo no Porto de Maceió, com foco na ampliação de serviços e geração de empregos.

Descrição do autor

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior é jornalista, colunista da Gazeta de Alagoas e editor do caderno Gazeta Rural

Ainda não há comentários.

Participe da conversa