Michel Temer publica MP e Eletrobras Alagoas pode ser liquidada em março de 2019

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/11/201707262108_63a420ab86.jpgMichel Temer publica MP e Eletrobras Alagoas pode ser liquidada em março de 2019

O governo federal publicou nesta quarta-feira, 14, a Medida Provisória 856, que estabelece o dia 31 de março de 2019 como prazo final para a privatização da Eletrobras Distribuição Alagoas (antiga Ceal). Depois dessa data, caso não seja vendida, a distribuidora alagoana será inevitavelmente liquidada, com a demissão de todos os funcionários e ruptura de todos os contratos. As informações são do jornal Valor Econômico.
Atualmente, a Eletrobras Alagoas está fora dos leilões das distribuidoras de energia elétrica, por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, atendendo a pedido do governo de Alagoas, que avalia ter direito a receber cerca de R$ 4 bilhões, em valores atualizados.
Na ação que tramita no Supremo, o Estado alegou ao STF que o leilão acarretaria “dano irreparável” ao governo, agravando o endividamento.
Segundo a reportagem do Valor, a Eletrobras decidiu que, depois de vários adiamentos, continuaria operando as concessões de distribuição até 31 de dezembro deste ano. Se a privatização não sair até lá, as empresas seriam liquidadas, e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) precisará realizar um leilão das concessões, sem carregar as estruturas existentes nas companhias hoje.
A MP publicada hoje delega à Aneel a responsabilidade pela contratação de prestador emergencial e temporário do serviço público de distribuição de energia elétrica.
A expectativa é que a Eletrobras convoque nova assembleia geral extraordinária (AGE) para postergar o prazo final de operação das distribuidoras até 31 de março, até o prazo final que termina neste ano. Esse período é necessário para que a Aneel possa viabilizar a concorrência para contratar o prestador temporário. Depois disso, os CNPJs atuais, estatais, serão liquidados, substituídos por CNPJs privados dos prestadores temporários de serviço.
A Eletrobras Distribuição Alagoas, por meio de assessoria nformou que não irá se pronunciar sobre o tema. Uma fonte ligada à empresa informou que a direção foi pega de surpresa com a publicação da MP.
“Irresponsabilidade”
Para o diretor do Sindicato dos Urbanitários de Alagoas José Cícero da Silva, o governo federal não está sendo muito claro quanto à liquidação das distribuidoras de energia elétrica do sistema Eletrobras – além da Ceal, a MP atinge também a Eletrobras Amazonas. “Trata-se da maior irresponsabilidade que o governo federal pode ter para com os trabalhadores”, lamenta José Cícero, conhecido como Sil.
Segundo ele, atualmente a Eletrobras Distribuição Alagoas conta com 1,2 mil trabalhadores diretos e cerca de 700 indiretos. “Além de afetar a toda essa categoria, a liquidação afeta toda a população de Alagoas”, alertou.
José Cícero revelou que o Sindicato dos Urbanitários está tentando marcar uma audiência com o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), para discutir o assunto. Além disso, o tema será levado pela categoria ao Ministério Público. “Estamos trabalhando para reverter a situação”, informou.
O procurador-geral do Estado, Francisco Malaquias de Almeida Júnior, informou na tarde desta quarta-feira que está analisando a MP publicada e, portanto, ainda não tem nenhuma posição oficial em relação ao tema. Ele admite, no entanto, que a Eletrobras Distribuição Alagoas poderá ser liquidada, mas para isso seriam precisos alguns procedimentos legais. Ele não quis adiantar quais seriam.

Gazeta Web

Author Description

Redação

Sem Comentários ainda.

Participe do debate