Trabalho com população de rua é destaque em Brasília

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/09/37142_ext_arquivo.jpeghttp://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/09/37142_ext_arquivo.jpegTrabalho com população de rua é destaque em Brasília

O trabalho integrado no atendimento à população de rua com problemas mentais em Maceió, realizado por profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foi destaque no 6º Congresso Brasileiro de Saúde Mental, realizado esta semana em Brasília. A experiência de como o trabalho intersetorial entre as políticas públicas pode contribuir no atendimento dos usuários e na luta pela diminuição da desigualdade social foi discutida em uma roda de conversa com profissionais de vários estados.

A experiência intitulada “Uma Experiência de Trabalho Intersetorial entre Assistência Social e Saúde” foi desenvolvida pelo Centro de Referência de Assistência Social (Creas) Jatiúca após a identificação da dificuldade existente na equipe de Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) em relação à abordagem com uma pessoa em situação de rua que tinha problemas psíquicos.

Durante o trabalho ofertado pelo Seas, a equipe presta atendimento às pessoas em situação de rua, seja por necessidade de acolhimentos ou até encaminhamentos necessários. Mas o trabalho não estava dando certo com os públicos usuários de drogas, álcool ou sofrimento por transtorno mental. Então, visando solucionar o problema e alcançar melhores resultados, foram criados encontros mensais entre o Seas Jatiúca, Seas Noturno, Consultório de Rua Jaraguá e Consultório na Rua Centro Noite para entender a situação.

Em busca por estratégias, o psicólogo Fabiano Leirias foi convidado para orientar o grupo, pontuando que as equipes deveriam deixar os usuários se expressassem para que assim pudesse ser criado um vínculo de confiança. Na prática, o resultado foi positivo tanto com para os usuários quanto para as equipes de Assistência Social e de Saúde, que trocaram experiências e conhecimentos sobre diversos casos.

Segundo a coordenadora do Creas Jatiúca, Maricélia Santana, a participação na roda de conversa do Congresso foi uma confirmação de como essa nova abordagem e interação entre as políticas públicas contribuem para o atendimento dos usuários.

“A experiência foi enriquecedora, foram momentos de aprendizado e de trabalho em equipe para gerar avanços com os usuários. É importante entender que não se deve trabalhar totalmente separado. As políticas públicas juntas (de forma intersetorial) contribuem para que os direitos desses usuários sejam acessados e, graças ao sucesso que foi, pretendemos continuar com esse trabalho”, disse a coordenadora.

Além da coordenadora do Creas Jatiúca, a assistente social da Casa de Passagem Familiar, Roseane Farias, também participou do Congresso em Brasília. O 6º Congresso Brasileiro de Saúde Mental teve o tema “Agir e transformar: pessoas, afetos e conexões” e aconteceu entre os dias 2 e 4 de setembro, reunindo profissionais do país inteiro.


Ascom Semas

Author Description

Redação

Sem Comentários ainda.

Participe do debate