Mulher se revolta ao ver ex que matou filha e pai dela: ‘Maldito’

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/09/naom_5b4a17e93f8ce.jpgMulher se revolta ao ver ex que matou filha e pai dela: ‘Maldito’

Lucineia Domingos de Oliveira Alves, ex-namorada do ex-policial militar Kleber dos Santos Alves, de 34 anos, preso em flagrante após admitir o assassinato da filha dela, uma criança de 5 anos, e do avô da menina, revoltou-se ao avistá-lo, na delegacia. “Maldito assassino!”, gritou, aos prantos.

O crime ocorreu na Vila Matilde, zona leste de São Paulo, por volta das 19h, em frente à casa de Lucineia, que tem 29 anos. Ele esperou a chegada da van escolar que trazia uma das filhas da ex, Pietra Domingos Bernardo.

Quando o veículo estacionou, em frente à casa da família da ex, José Xavier Oliveira, 54 anos, pai de Lucineia e avô de Pietra, aguardava a menina. A mãe estava dentro de casa. O motorista da perua afirmou à polícia que ouviu tiros após a menina descer e viu o ex-PM apontar a arma para Oliveira.

De acordo com o relato da testemunha, o avô de Pietra pediu calma ao ex-policial, que atirou contra o rosto da vítima. O motorista afirmou ainda que Pietra já estava caída no chão, por conta dos primeiros disparos, quando Alves voltou até a menina e atirou na cabeça dela.

“Como se quisesse se certificar que a criança morreria”, aponta um dos trechos do depoimento da testemunha. A criança foi baleada duas vezes no tórax, e uma no rosto, e o avô, uma vez na face.

O motorista ainda afirmou que Alves ainda perguntou sobre a irmã de Pietra, de 11 anos, que ainda não havia chegado da escola. “Ela poderia ser a terceira vítima de Alves”, disse o advogado da família das vítimas, Andre Lozano.

Alves, que atualmente é auxiliar administrativo num escritório de advocacia, tem uma filha de 4 meses com Lucineia. As outras meninas são filhas de outros relacionamentos dela.

A motivação para o crime, afirmou o advogado, seria o fato de Alves não aceitar o término do relacionamento com Lucineia, que durou um ano e três meses. Ela havia registrado dois BOs de agressão contra o ex-PM, em maio e junho. A arma usada no crime foi um revólver calibre 38 com numeração raspada.

O ex-soldado Kleber dos Santos Alves, 38 anos, admitiu em depoimento à polícia que atirou contra seu ex-sogro, “por não gostar dele”, e disse que acertou em Pietra “por engano”. A defesa de Alves afirmou que, no momento, não vai se manifestar sobre o caso.

Segundo a PM, o ex-soldado foi expulso da corporação em 2008 após ser condenado a 19 anos e dois meses de prisão, em regime fechado, pela morte, em 2007, de uma ex-namorada, Juliana Bocato Guido, 22 anos. Alves matou a vítima com um tiro nas costas, na ocasião, e cumpria pena em liberdade pelo homicídio. Com informações da Folhapress.


Notícias ao Minuto

Author Description

Redação

Sem Comentários ainda.

Participe do debate