Cozinheira tem casa destruída em ação militar e agora quer deixar morro

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/09/naom_5b7d4657dcc44.jpgCozinheira tem casa destruída em ação militar e agora quer deixar morro

A cozinheira Joelma Viana, 39, pôs sua casa à venda. Não quer mais morar no alto do morro da Chatuba, no complexo da Penha, no Rio, onde nasceu e cresceu.

Durante megaoperação coordenada pela intervenção federal, segundo ela, militares entraram no imóvel no dia 21 de agosto e destruíram móveis e eletrodomésticos -em ação testemunhada por vizinhos.

Na sala, conta, tinha um jogo de sofá que “está todo rasgado, não sei se foi com faca ou tesoura”. Também “quebraram minha TV novinha, ainda estou pagando o carnê das Casas Bahia”. E continua: a caixa de som, o rack, o guarda-roupa, a cama, a cômoda, o beliche. Tudo quebrado.

A operação, do Comando Militar do Leste do Exército, atingiu os complexos da Penha, Alemão e Maré -área com 26 comunidades e 550 mil habitantes- de 20 a 24 de agosto. Prendeu 86 pessoas e deixou oito mortos, sendo cinco civis e três militares.


Notícias ao Minuto

Author Description

Redação

Sem Comentários ainda.

Participe do debate