Balança comercial de Alagoas movimenta R$ 4,2 bilhões em 2017

http://edivaldojunior.com.br/wp-content/uploads/2018/01/dinheiro.jpgBalança comercial de Alagoas movimenta R$ 4,2 bilhões em 2017

Depois de registrar em 2016 um fraco desempenho na balança comercial, Alagoas fechou 2017 com forte crescimento no comércio exterior.

No ano passado, o faturamento de exportações e importações do estado movimentou US$ 1,309 bilhão – o equivalente pelo câmbio atual a R$ 4,22 bilhões. O crescimento na comparação com 2016, quando foram movimentados US$ 1,032 bilhão, foi de 26,78%. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Depois de atingir em 2016 (US$ 420,8 milhões) o menor volume em doze anos, as exportações de Alagoas chegaram a US$ 665,01 milhões em 2017. Apesar do forte crescimento, de 58%, as vendas para o mercado externo estão longe do recorde registrado em 2011, que o estado exportou US$ 1,37 bilhão.

No ano passado o volume importado chegou a US$ 644,4 milhões com variação de 5,31% na comparação com 2016 (US$ 612 milhões). Graças a lei estadual que permite o uso de precatórios para pagar o ICMS de produtos importados, as importações seguem em alta em Alagoas e representam, hoje, cerca de três vezes mais o volume que era importado há dez anos.

Alagoas registrou, pela primeira vez em 2016, saldo negativo na balança comercial. A diferença entre exportações e importações foi de US$ -191,1 milhões. Com o crescimento das exportações, o saldo chegou a US$ 20,5 milhões em 2017, uma alta de mais de mil por cento na comparação com o ano anterior.

O que Alagoas importa

Alagoas é, por conta do uso de precatórios para pagamento de ICMS de importação, a porta de entrada de diversos produtos que vão abastecer outros estados do país. A pauta de importação é bastante diversificada e tem mais de 100 itens com movimentação acima de US$ 1 milhão.

A maioria dos itens nem chega a desembarcar no Porto de Maceió e o processo de importação se resume, na prática, a uma “carimbada”.

No ano passado, o principal produto importado foi “outros alhos frescos ou refrigerados”, com US$ 36,7 milhões ou 5,7% do total. Camisetas de algodão, vem a seguir, com US$ 35,04 milhões ou 5,44% do total. Na sequência, os principais produtos importados são outras naftas (US$ 19,8 milhões); didrogeno-ortofosfato de amônio (US$ 19,1 milhões); dicloretano (US$ 18,1 milhões); outros derivados da anilina (US$ 17,06 milhões); trigo (US$ 14,5 milhões), saias e calças sintéticas (US$ 13,6 milhões).

A lista segue incluindo diferentes produtos, inclusive produzidos em Alagoas, a exemplo do óleo de coco com importações de US$ 6,9 milhões e coco desidratado (US$ 6,8 milhões).

O que Alagoas exporta

A lista de exportação de Alagoas é bem menor. Apenas oito itens tem faturamento acima de US$ 1 milhão. O principal produto exportado é, de longe, o açúcar VHP (um demerara um pouco mais claro), que registrou exportações de US$ 430,22 milhões em 2017, o equivalente a 58,06% do total exportado pelo estado.

Em segundo lugar na lista de exportação estão “outros aparelhos para filtrar ou depurar líquidos), com US$ 171,1 milhões. Esses equipamentos são destinados à exploração de petróleo. Na sequência, os maiores volumes exportados foram de policloreto de vinila (US$ 23,8 milhões) e açúcar cristal ou refinado (US$ 14,03 milhões). O etanol, que já teve lugar de destaque nas exportações alagoanas respondeu apenas por 0,59% das exportações ou US$ 3,59 milhões, resultado da comercialização do produto para fins industriais.

Edivaldo Júnior

Author Description

Polyana Lima

Sem Comentários ainda.

Participe do debate