Proleite aponta agenda positiva para o setor

Proleite aponta agenda positiva para o setor

Em seus 20 anos de atividades na cadeia produtiva do leite de Alagoas, o Seminário para Produtores de Leite de Derivados (Proleite) dissemina a proposta de amadurecer o setor leiteiro em termos de profissionalização e organização. Nessa edição, aberta nesta quinta-feira, 26, o seminário contou com um público superior a 300 participantes.

As perspectivas trazidas pelo evento apontam positivamente para viabilidade do ciclo leiteiro na medida em que os produtores possam a se organizar em modelos cooperativistas, como explicou o palestrante Ernesto Kruguer, presidente da Associação de Laticínios do Rio Grande do Sul.

“No Brasil, metade da produção de leite vem da agricutlrua familiar. Isso mostra que é possível também em Alagoas integrar essa estatística com uma produção orquestrada pelo trabalho associativista e cooperativo, com os produtores pactuando condomínios, confeccionando silagem, fenação, a compra em conjunto”, exemplificou o gaúcho.

O Seminário que é o espaço oficial da Expoagro/AL para refletir os desafios e perspectivas do setor, segundo o presidente do Sileal, Athur Vasconcelos, contribuiu para aumentar a competitividade na indústria. “O Proleite ajudou a desenvolver diversos laticínios nossos e a cada ano encontramos oportunidades de reciclagem pelo alto nível de palestras, o que torna o mercado mais dinâmico e cada vez mais valorizado”, enfatizou Vasconcelos.

Em discurso na solenidade de abertura, o diretor Regional do Sebrae, Marben Loureiro, destacou as melhorias produtivas colhidas com o Seminário. “O Senai/AL tem investido, com afinco, para que o setor siga o rumo socioeconômico da atividade e siga no ritmo de produção nacional. Por isso, não medimos esforços em trazer os melhores profissionais e estudiosos para dialogar com nossos produtores”, declarou Loureiro.

A vocação leiteira de Alagoas, que é o quarto estado em produtividade, foi destacada pelo diretor técnico do Sebrae, patrocinador do evento, Ronaldo Moraes. “É nosso compromisso defender a produtividade leiteria do nosso estado, que tem na região do sertão um forte apelo para atividade. Que esse seminário se perpetue, complete mais décadas trazendo melhorias e livrando a atividade do atraso”, comentou.

Beneficiados

Benficiada direta com as palestras do 20º Proleite, a Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), que é responsável pela organização de 4 mil produtores, agradeceu ao Senai/AL. “O seminário prepara seu público para enfrentar os desafios da ciclo produtivo seja no campo ou na indústria. As palestras trouxeram soluções criativas e dicas pontuais para que os agricultores continuem produzindo com baixo custo”, alega.

Participante fiel do Proleite, o produtor de leite quilombola, Cícero Leite, do Assentamento Cajá dos Negros aprovou as palestras desse ano. “Sem essas orientações e ajuda da CPLA a gente tava produzindo leite em condições precária, sem nenhuma condição de tirar 15 litros na semana. As informações das palestras nos faz ter uma produção eficiente e de baixo custo”, revela o produtor.

No total, em 2017, o Proleite teve 450 inscritos, entre agricultores familiares, pecuaristas e laticinistas.

Concurso Lácteo

Maior vitrine do setor de derivados de Alagoas, o 13º Concurso Lácteo de Alagoas, realizado na última terça-feira,24,julgou o total de 110 produtos, de 24 laticínios participantes em 21 categorias.

Nas categorias bebida láctea de ameixa, o título ficou com a Ducamp, que também fez o melhor requeijão da noite. O laticínio Murici levou a melhor nas categorias bebida láctea de Morango e doce de leite. Os iogurtes de ameixa e morango dos Latinios Batalha e Timbaúba, respectivamente, foram eleitos os melhor do concurso. O último também faturou a categoria coalhada.

Os jurados apontaram a manteiga do laticínio Renascer e a ricota do Lima e Antunes como as melhores de suas categorias. Nas categorias de queijo, saíram em 1º lugar os laticínios: Dugado e Confiança com o melhor queijo de coalho; São Felix com o melhor queijo manteiga;Lima e Antunes com o seu queijo Minas Frescal e Mussarela.

Os produtos do Laticínio Dugado, grande destaque da noite, se sagrou multicampeão com a escolha do queijo de coalho da marca como “Produto do Ano”, mais bem pontuado entre os 110 produtos do Concurso.

ASSESSORIA

Author Description

Vanessa Ataíde

Sem Comentários ainda.

Participe do debate