Se deixar PSDB, Rui Palmeira e Rodrigo Cunha “viabilizam” dobradinha Renan-Téo

As informações sobre a troca de comando dos partidos em Alagoas não param. A última é de que o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) teria assumido, politicamente, o comando do Livres, antigo PSL, em Alagoas e estaria de malas prontas pra sair do PSDB, esperando “apenas” a janela partidária para mudar de legenda.
Os boatos sobre a mudança de Rui Palmeira, do PSDB, também estão em alta. Nos bastidores sua ida para o DEM é dada como certa.

O prefeito de Maceió ainda teria, como opções, o PR de Maurício Quintella ou PP de Benedito de Lira.

Na avaliação de um importante analista político, com trânsito em vários grupos de Alagoas, “com a saída de Rui do PSDB, o ninho tucano poderia se alinhar a Renan e PMDB. Com isso Rui perderia grandes aliados que ficariam com a dobradinha Teo-Renan”.

Esse poderia ser o caso, por exemplo de Rogério Teófilo, Jorge Dantas, Jarbinhas, mais próximos de Téo Vilela e que não teriam nenhuma objeção a um “pacto” com Renan.

Em meio a todas essas especulações, surgiu um fato novo – que se prosperar – pode embaralhar ainda mais o cenário local. Insatisfeito com o grupo de Michel Temer, que tem minado o DEM, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, se reuniu ontem com o senador Renan Calheiros e outros políticos que fazem críticas ao Palácio do Planalto.

A partir das insatisfações cada vez mais evidentes de Maia, Michel Temer pode até ser afastado da presidência, na votação que vai decidir pelo acatamento ou não da denúncia da PGR contra o presidente. Nesse caso, Rodrigo seria o presidente e estaria alinhado com alguns grupos que fazem hoje oposição a Temer. Resta lembrar a velha máxima de Marco Maciel: “tudo pode acontecer, inclusive nada”.

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa