Acessos pavimentados garantem progresso e desenvolvimento a municípios alagoanos

Nos próximos meses, Alagoas finalmente vai se igualar a estados nordestinos como os de Pernambuco e Rio Grande do Norte, com todos os seus municípios interligados por estradas pavimentadas. Desde 2015, o Governo de Alagoas vem promovendo a recuperação e implantação de acessos em municípios onde, até então, só era possível chegar por estradas de barro, muitas vezes bloqueadas pela ação do tempo.

A garantia da interligação de todos os municípios alagoanos foi dada pelo governador Renan Filho durante a última edição do Governo Presente, que atendeu nove municípios da região do Vale do Paraíba.

No dia 2 de setembro, em Pindoba, Renan Filho autorizou a licitação das obras para implantação do acesso ao município, uma demanda histórica dos quase três mil habitantes da cidade. Com a pavimentação da AL-445, Pindoba, uma das últimas cidades alagoanas sem acesso asfaltado, será interligada à AL-110, no município de Viçosa.

“Quando me disseram que esse projeto era muito caro, eu disse: ‘Pare, respire, porque isso já foi dito muitas vezes’. Caro é o povo andar durante 50 anos na lama. Faltam três cidades de Alagoas serem ligadas por asfalto: Canapi, que já está em obras; Pindoba, que nós estamos autorizando hoje; e até o final do ano vamos começar a terceira, com o acesso à cidade de Belo Monte. No nosso Governo, não vamos ter mais nenhum alagoano rodando em estrada de barro”, disse Renan Filho durante a cerimônia em Pindoba.

Com exceção do acesso a Canapi, realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (DNIT) com o apoio do Governo de Alagoas, as demais obras têm sido tocadas com recursos próprios do Estado. Elas são executadas pela Secretaria de Estado do Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), dentro do programa Pró-Estrada. A iniciativa já chegou a 56 municípios alagoanos e inclui os serviços de implantação e recuperação de acessos, recuperação de rodovias, pavimentação de vias urbanas e implantação de novas rodovias.

O impacto das obras do Pró-Estrada no cotidiano dos moradores das cidades beneficiadas também foi ressaltado pelo governador Renan Filho. “Seja nas vias urbanas, seja nos acessos que estamos recuperando ou implantando, o asfalto muda a vida das pessoas, melhora a autoestima dos moradores, facilita a limpeza urbana e garante mobilidade e acessibilidade para pessoas com deficiência. Já temos quase 600 quilômetros de vias urbanas e rodovias asfaltadas pelo Pró-Estrada e vamos continuar trabalhando, porque essas ações levam o progresso, o desenvolvimento econômico e o desenvolvimento social para os municípios alagoanos”, avaliou o governador.

Serviços

Até o momento, o programa Pró-Estrada já levou o trabalho de recuperação e implantação de acessos a 14 municípios e quatro povoados alagoanos. No Sertão, os serviços já foram concluídos nos municípios de Minador do Negrão (10km), Poço das Trincheiras (3,2km), Maravilha (6,5km), Santana do Ipanema (2,5km), Ouro Branco (3,3km) e nos povoados de Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande (1,9km) e Estreito, em Água Branca (0,8km). As obras estão em andamento na cidade de Olivença (10km) e no povoado de São Marcos, em Major Isidoro (1km).

No Agreste, Jaramataia (1,1km), Coité do Noia (6,4km), Feira Grande (14km), São Sebastião (3km), Lagoa da Canoa (3,7km) e Belém (1km) já tiveram seus serviços concluídos. Na Região Metropolitana, a recuperação asfáltica no trecho de 10 quilômetros que vai do trevo da Praia do Francês, na AL-101 Sul, ao acesso ao município de Marechal Deodoro, foi iniciada em agosto e está em andamento. O Pró-Estrada também executa suas ações no município de União dos Palmares, com obras em andamento nos acessos à cidade (7km) e ao povoado de Rocha Cavalcante (2,5km).

De acordo com o secretário do Transporte e Desenvolvimento Urbano, Mosart Amaral, as obras retomaram seu ritmo normal após a diminuição do volume das chuvas que caíram em Alagoas nos últimos meses.

“No total, o Pró-Estrada realizou ou vem realizando melhorias em 80,7 quilômetros de acessos a municípios e 6,2 quilômetros de acessos a povoados alagoanos. Nesse cálculo, ainda não incluímos os 11 quilômetros da AL-445, que dá acesso a Pindoba, nem os 30 quilômetros da AL-125 entre Batalha e Belo Monte, que chegou a ficar ilhada em julho por causa das chuvas. Com isso, vamos passar dos 120 quilômetros de acessos construídos e recuperados”, disse Amaral.

“O programa também é responsável pela recuperação de 211 quilômetros de estradas em todo o Estado, 74,7 quilômetros de vias urbanas pavimentadas e 211 quilômetros de novas estradas implantadas ou em implantação. É uma alegria muito grande promover uma mudança tão profunda na vida de tantos alagoanos. Vamos continuar trabalhando para melhorar a mobilidade urbana e a segurança de quem trafega pelas rodovias do nosso Estado”, afirmou o secretário.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa