Marx Beltrão anuncia liberação de R$ 7,5 mi para regularizar pagamentos

A luta pela regularização dos pagamentos do Programa do Leite ganhou um novo e importante aliado em Alagoas, o ministro Marx Beltrão, do Turismo. Em um Café da Manhã nesta segunda-feira, 18, preparado pelas Cooperativas que organizam a produção leiteira do Programa, produtores e beneficiários receberam o ministro para tratar dos atrasos acumulados em quatros meses.

O Programa engatou um início de “crise” devido ao atraso no repasse dos recursos competentes ao governo federal, na ordem de R$ 30 milhões, que deveriam ser alocados pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) . De janeiro até agora, o Programa entrou em operação graças os recursos de contrapartida antecipados pelo governo de Alagoas num valor referente R$ 7 milhões.

Ciente da situação da agricultura familiar, o ministro surpreendeu ao anunciar a liberação de R$ 7,5 milhões referente a primeira parcela que deveria ser liberada pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) em maio.

“Acompanhei nas últimas semanas o drama desses produtores que tanto edificam nossa cadeia produtiva. De prontidão, fiz a solicitação ao presidente Michel Temer para regularizarmos a liberação dessa primeira parte e manter uma política continuada de repasses desses recursos. Quero reiterar minha preocupação, confirmando que esse Programa terá prioridade na agenda ministerial daqui pra frente”, confirmou Beltrão.

Beltrão informou aos pequenos produtores e Cooperativas que a liberação para as Cooperativas será, no máximo, dentro do prazo de 15 dias. O minsitro afirmou que conversou com o colega ministro Osmar Terra, do MDS, para destravar o repasse ao Estado.

“Combinei com as cooperativas para que toda vez que fosse gerada a fatura, me acionasse, para que possamos cobrar de uma forma mais efetiva a transferência desses recursos para o convênio com o Estado. No mais, relatei ao presidente da República, que esse é um Programa que tem sua importância social e econômica, que serve de regulador para o mercado, então vamos defendê-lo na com todas as garras”, declarou em discurso.

Equilíbrio

Afetado pela crise política e econômica no País, o Programa do Leite tem sido castigado pela contenção de recursos em seu orçamento. Em 2017, o plano orçamentário foi reduzido para R$ 47 milhões, cortando pela metade o fornecimento do leite para apenas 40 mil litros por dia, sendo distribuídos de forma semanal e não diária como nos anos anteriores.

“O produtor, além de não receber na quinzena certa, fica limitado, com produção encolhida. Temos potencial, mas não temos onde colocar esse leite que um dia o Programa já absorveu”, reclamou o produtor Osmar Andrade, referindo-se ao decréscimo de 30 para 19 litros/dia.

Com as constantes ameaças a continuidade do Programa, as Cooperativas tem peregrinado afim de sensibilizar as autoridades pela sustentabilidade do Programa. “O que queremos é mostrar a dimensão de um Programa presente de ponta a ponta na vida econômica dos municípios, gerando emprego, combatendo a fome e edificando a vida de pessoas que antes viviam a mingua no campo e hoje trabalham com a melhor genética de gado”, disse Aldemar Monteiro ao ministro Beltrão.

A CPLA e as demais Cooperativas tem trabalhado para que o Programa ganhe maior apoio e atravesse as fronteiras do braço governamental. “Estamos falando de um Programa presente nos 102 municípios, com a expertise de fornecer leite gratuitamente e com o melhor preço de compra ao produtor. Um Programa emancipador que tem ajudado a revitalizar a Bacia Leiteira de Alagoas”, reconheceu Monteiro.

A Cooperativa Pindorama, segundo o seu presidente, Klécio Santos, destacou o reforço de Marx Beltrão. “Com o empenho e compromisso do ministro creio que o Programa inaugure uma fase mais estável. O Marx Beltrão sabe que esse é um programa que atende aos alagoanos, sabemos do seu empenho e torcemos para que ele consiga nos ajudar de forma permanente daqui pra frente”, apontou. Além da Pindorama e CPLA, o Programa é executado pela Cafisa, Agra e Coopaz, atendendo a 4 mil produtores e beneficiando com o leite gratuito 12% da população de Alagoas.


Assessoria

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa