Cooperativas vão expor situação do Programa do Leite ao ministro Marx Beltrão

Vivendo uma fase crítica no Programa do Leite, devido a série de atrasos nos repasses de recursos pelo governo federal esse ano, as cinco Cooperativas ligadas ao fornecimento do leite pelo Programa se reúnem na próxima segunda-feira, 18, com o ministro do Turismo, Marx Beltrão, para tratar sobre o andamento do Programa em Alagoas. O encontro será um Café da Manhã, com a presença de produtores e beneficiários, a partir das 8h, no auditório da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), no bairro do Trapiche, em Maceió/AL.

Na oportunidade, CPLA, a Cooperativa Agropecuária de Produtores de Leite Familiar da Bacia Leiteira de Alagoas – COOPAZ, a Cooperativa do Agricultores Familiares do Sertão de Alagoas – CAFISA, a Associação de Agricultores Alternativos – AAGRA e a Cooperativa Pindorama vão enfatizar o papel fomentador protagonizado pelo Programa na vida de 4 mil pequenos produtores e 80 mil famílias beneficiárias.

“Nosso apelo é sempre pela conscientização da dimensão desse Programa, sua abrangência nos municípios e atendimento aos mais necessitados. Precisamos sensibilizar as autoridades e classe política mostrando que o Programa do Leite é abastecimento alimentar, é geração de emprego e renda; é combate a vulnerabilidade social, além de incentivo a produção agrícola familiar”, disse o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro.

Manutenção

Devido ao histórico de atraso nos pagamentos, segundo a CPLA, alguns grupos de produtores paralisaram o fornecimento do leite que é distribuído gratuitamente para população em estado de insegurança alimentar. O papo com o ministro Marx Beltrão será justamente para alinhar uma possível alternativa para manutenção e sustentabilidade do Programa em Alagoas.

“O programa já sofreu um contingenciamento orçamentário significante esse ano, gerando prejuízo e desestímulo. Para o pequeno produtor, é impossível produzir sem os pagamentos. A atividade se torna impraticável devido aos altos custos de insumos e os improvisos aos quais precisamos recorrer para continuar alimentando o gado”, lamenta o presidente da CPLA.

Esperançosas de uma possível liberação de recursos e normalização do Programa, as Cooperativas contarão com a articulação do Ministro alagoano junto ao presidente Michel Temer e equipe do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), pasta responsável pelos recursos do Programa, para reverter o impasse dos pagamentos. O governo federal é responsável pelo destinamento de R$ 30 milhões e o governo estadual responde pela contrapartida de R$ 7 milhões. Em 2017, o Programa só operou com os recursos do estado antecipado pelo governador Renan Filho.

Assessoria

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa