1º Genética Paulo Amaral possui vacada girolando adaptável a qualquer rebanho leiteiro

Em qualquer segmento da criação de bovinos, seja para o leite ou corte, a pressão de seleção na escolha dos animais é fundamental para um projeto bem-sucedido de ciclo curto. No leite, na hora de formar o rebanho, o produtor precisa se atentar a um conjunto de fatores para além da árvore genealógica do animal.

Para que a vacada se desenvolvam com bons níveis de produção e produtividade, o selecionador Paulo Amaral, que trabalha com a fusão do gado holandês e o gir, enfatiza a importância de escolher fêmeas eficientes, de persistência de lactação e adaptação ao sistema de produção de leite. “O gado antes de tudo precisa ter sua saúde atestada. Mas o criador também precisa ficar atento ao mérito genético, nutrição e manejo e trato correto para cada fase da preparação, tanto para lactação e parto”, alega o pecuarista.

Já na visão externa de um gado que venha a dar lucro, Amaral destaca seus critérios de seleção: “uma boa vaca leiteira deve ter o sistema mamário ideal com úbere fortemente implantado e muito bem irrigado. Entretanto, também é fundamental que a fêmeas tenham firmeza na passada, capacidade corporal, costado forte, ventre amplo e dorso reto e forte”, definiu.

Ganho de peso ideal, eficiência reprodutiva e produtiva itens que precisam se observados minuciosamente. “O animal leiteiro que vai dá as melhores repostas funcionais precisa ser moldado de acordo com as condições do ambiente. Também preciso acompanhar melhor a desenvoltura de cada vaca e maturidade sexual, visto que a fertilidade é melhor quando o animal está em seu clima ideal”, garante.

Segundo informações do criador, estima-se que a produção de leite por vaca aumenta de 2 a 3% anualmente. O melhoramento genético responde por 33 a 40% deste crescimento, ao passo que a nutrição e o manejo são responsáveis pela margem de 60 a 67% restantes.

Gado que dá lucro

Dono do recorde leiteiro de Alagoas, com a produção diária de 10 mil litros, Paulo Amaral coloca à disposição um seleção de mais de 200 fêmeas leiteiras de seu patrimônio genético com a realização do 1º Genética Paulo Amaral, nos próximos dias 29 e 30 de setembro.

O criador separou uma grupo de novilhas e garrotas girolando 5/8, ¾ e 7/8, todas com genética e total vocação para produção de leite em qualquer região do Nordeste. A comercialização é considerada a maior e melhor do ano na Região, segundo RodrIGO Loureiro da Agreste Leilões: “Será um feito inédito para cadeia produtiva do leite no Nordeste. Não há nada igual em oferta e qualidade animal já visto antes na história do girolando. Animais exemplares, de uma genética especializada, rentável e 100% adaptável a qualquer criatório”, declarou, Rodrigo Loureiro.

SERVIÇO
1º Genética Paulo Amaral
Data: 29/09 a 30/09
Local: Fazenda São Luiz em Monteirópolis
Hora: 9h
Informações: Nauber Almeida – 75 9926-5455

__

Assessoria

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa