Privatizações fazem o Brasil empobrecer, diz Bresser

A onda de privatizações anunciada pelo governo de Michel Temer levanta muitos questionamentos. O governo alega que as concessões irão melhorar a oferta de serviços, elevar a arrecadação do governo, incentivar a atração de novas tecnologias e adotar modelos de gestão mais eficiente. Foram anunciados 57 novos projetos no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Entre eles estão aeroportos, rodovias, portos, empresas estatais e linhas de transmissão. A expectativa de arrecadação é de R$ 44 bilhões.

No entanto, o ex-ministro e professor da FGV Luiz Carlos Bresser-Pereira alertou, em um artigo publicado em uma rede social, que “o Brasil está à venda”.

Bresser disse em entrevista ao UOL que não são apenas as estatais que estão à venda. Empresas privadas também estão sendo transferidas para os estrangeiros. “A venda do patrimônio público e privado certamente está empobrecendo o país e é consequência da irresponsabilidade do governo”, afirma o professor emérito da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O ex-ministro também falou sobre as práticas do governo que são consideradas”irresponsáveis”. O deficit fiscal é uma delas. Bresser explica que o fato de o governo gastar muito mais do que arrecada; a falta de investimento público em projetos que estimulem o crescimento da economia; e o endividamento excessivo, são prejudiciais para o país.

“É como uma família que decide se endividar para fazer um investimento qualquer, digamos de R$ 100 mil. Mas, em vez de usar o dinheiro emprestado para investir, a família usa para consumir. A família só investe R$ 10 mil e acabando gastando os outros R$ 90 mil para viajar, fazer uma festa, comprar coisas. Mas aí tem que pagar a dívida. Como a família faz? A única saída para pagar essa dívida é vendendo patrimônio. Vende os móveis da casa, vende o carro, vende a própria casa. É isso que o país está fazendo agora”, explica Bresser.

Além disso, o professor destaca que, sem investimento, o Brasil está se condenando a taxas de crescimento muito baixas e a ser uma economia de propriedade dos países ricos. “E nós seremos todos empregados”.

Bresser também é contra o argumento de que a privatização torna todas as empresas melhores e mais eficientes.

“Sou a favor de privatizações de empresas competitivas. Mas entendo que privatizações de empresas monopolistas [que atuam em setores sem concorrência], em princípio, não são uma boa coisa. A empresa privada funciona bem porque ela é controlada pelo mercado”. “Esse governo está tentando privatizar desde quando chegou ao poder. É um governo liberal, que acha que empresa pública é ruim. Um governo que não tem conceito de interesse nacional. O mercado é que cuida de tudo. Então, você pode vender tudo o que você quiser”.

Fonte: Notícias Ao Minuto

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa