Depois da Segurança, RF leva “padrão” da Força Tarefa para a saúde

O governador Renan Filho lançou a Força Tarefa no dia 20 de março deste ano, no calçadão de Maceió. Quem viu o lançamento da operação acreditou, num primeiro momento, que seria apenas a chegada de novas viaturas para a Polícia Militar, as “amarelinhas”. Não era.

O Força Tarefa surpreendeu com resultados rápidos.

A média de Crimes Violentos Letais e Intencionais em Alagoas caiu logo no primeiro mês de operação. Depois de fechar janeiro com 206 CVLI, fevereiro com 200 e março com 199, em abril os registros cariam para 168, despencando para 125 em maio (menor número de homicídios num mês em anos) e 133 em junho. Foram 605 crimes no 1o trimestre do ano e 426 no 2o trimestre, uma queda de 30% comparando um período com o outro.

O Força Tarefa não foi claro responsável sozinho pela redução da violência, mas teve papel fundamental. Isso porque o governo mudou de estratégia no enfrentamento da criminalidade. Entre as ações, o aumento do policiamento ostensivo, o uso da inteligência e a integração de ação entre todas as forças de segurança.

A partir desta segunda-feira, a Secretaria de Saúde do Estado começa a receber 14 ambulâncias no “padrão” Força Tarefa. As ambulâncias também são “amarelinhas” e completamente equipadas. O governo promete entregar, além destas, mais de 100 ambulâncias ainda este ano, para atender o Samu e a prefeituras de todo o estado.

Assim como aconteceu com a Segurança, as “amarelinhas” da Saúde serão usadas para colocar em prática um novo modelo de gestão na saúde.

Essas ambulâncias, explica o secretário executivo da Saúde, Ediberto Omena, serão usadas no serviço de regulação. Na prática, será um Samu entre hospitais que vai ajudar a transportar pacientes de um hospital para outro ou para a residência.

Com as “amarelinhas’, o secretário Christian Teixeira coloca em execução um plano que visa desocupar tão rapidamente quanto possível o leito de hospitais do estado, especialmente do HGE, em Maceió, ampliando assim a capacidade de atendimento da rede pública de saúde, num movimento semelhante à Força Tarefa que a partir da contratação de PMs nas suas horas vagas conseguiu aumentar, na prática, o efetivo policial nas ruas.

A ação não ficará apenas na regulação de leitos – medida que deve ampliar a capacidade de atendimento. A Secretaria de Saúde está investimento em serviços inteligentes e no uso de ferramentas de gestão, como sistemas hospitalares, que devem resultar na melhoria do serviço prestado ao cidadão.

Depois de melhorar a gestão, o governo aposta na ampliação do número de leitos públicos – o que vai acontecer com a ampliação da UE do Agreste e a inauguração, a partir do próximo ano, do Hospital da Mulher e do Hospital Metropolitano em Maceió, além de vários hospitais no interior.

Neste domingo, o governador Renan Filho antecipou nas redes sociais, a chegada das “amarelinhas” na Saúde.

“Bom dia de domingo. Novas ambulâncias começaram a chegar. Essa leva vai para HGE, Santa Mônica, UE do Agreste e outros hospitais geridos pelo Estado. Daqui há alguns dias chegam as que vamos doar aos municípios. E até o fim do mês as novas SAMUs que o Governo do Estado comprou pelo primeira vez, já que o Governo Federal, que devia enviá-las a Alagoas, parou de mandar e vinha sucateando a frota”, disse.

RF adianta, ainda, que “Com as novas SAMUs, compradas com recursos próprios, todas as 52 bases de Alagoas – Maceió, Arapiraca, Penedo, Palmeira, Atalaia, Santana, Teotônio, Rio Largo, Coruripe, Delmiro, São Luís, Matriz, União, enfim todas as bases – terão ambulâncias novinhas para o transporte de urgência e emergência. Ahhhh… Também chegou o novo helicóptero do SAMU, depois mostro pra vcs”.

Os resultados da Força Tarefa

A leitura das estatísticas da SSP aponta para a queda acentuada da violência em Alagoas após o início da operação Força Tarefa (veja gráfico). O que se espera agora é que governo consiga ao menos um desempenho próximo na Saúde.

Edvaldo Júnior

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa