Economista da XP Investimentos destaca ajuste fiscal de AL como exemplo ao Brasil

O ajuste fiscal promovido pelo Governo do Estado de Alagoas foi citado em artigo escrito pela economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, como exemplo de eficiência no cenário nacional. Ela destaca o processo de reestruturação por que passou o Alagoas (AL) Previdência e as regras para impor disciplina fiscal aos três Poderes, antes restrita apenas ao Executivo.

A XP Investimentos é uma das maiores instituições financeiras do Brasil. Com mais de 15 anos no mercado, a empresa é referência em assessoria de investimentos. O artigo foi publicado na quarta-feira (13) no blog da economista no Estadão.

No artigo intitulado “Luz no fim do túnel da política?”, Zeina Latif afirma que “há políticos fazendo bom trabalho” e cita Renan Filho como referência, ao lado dos governadores do Espírito Santo e do Ceará. Ela faz uma reflexão e lança luz sobre a discussão da capacidade do País de avançar na agenda econômica nos próximos anos, para ao menos voltar a crescer em linha com o mundo e melhorar os indicadores sociais.

“Vale citar alguns exemplos de destaque. No Espírito Santo, de Paulo Hartung (PMDB), um corajoso ajuste fiscal, parcerias público-privadas em saneamento e agenda de privatizações. Em Alagoas, de Renan Filho (PMDB), a nova lei de Previdência dos funcionários públicos e regras para impor disciplina fiscal aos três Poderes, antes restrita apenas ao Executivo. No Ceará, de Camilo Santana (PT), a regra para teto de gastos e aumento de contribuição previdenciária”, citou Zeina Latif.

O presidente do AL Previdência, Roberto Moisés dos Santos, explica que o sistema previdenciário alagoano foi reestruturado na gestão de Renan Filho, quando foram criados três fundos: o Financeiro, o Previdenciário e o dos Militares. Cada poder passou a contribuir com os fundos, aliviando o tesouro estadual, antes sobrecarregado, que passou a investir e canalizar os recursos a áreas estratégicas como saúde, educação e segurança pública.

“O Poder Judiciário, o Legislativo, o Tribunal de Contas, o Ministério Público, cada um passou a fazer suas contribuições de acordo com a proporcionalidade de cada poder. Criamos também a Previdência

Complementar, que equiparou o teto dos novos concursados ao teto estabelecido pelo INSS. Podemos citar ainda medidas adotadas de recadastramento e de auditoria dos benefícios. Com tudo isso conseguimos um dos melhores ajustes fiscais do País”, explicou Roberto Moisés.

O secretário de Estado da Fazenda, George Santoro, afirmou que o reconhecimento da economista Zeina Latif é muito importante porque demonstra que as mudanças implementadas pelo Governo de Alagoas permitiram a implementação de um eficiente ajuste fiscal.

“A integração de todos os poderes possibilitou que Alagoas fizesse um grande ajuste fiscal que, somado a uma excelente lei previdenciária – talvez a mais moderna do País – nos deixou à frente no cenário nacional. Isso vai permitir ao Governo de Alagoas a ter uma ótima saúde financeira e a fazer investimentos públicos importantes nunca feitos antes”, avaliou Santoro.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Juliana Amaral

Ainda não há comentários.

Participe da conversa