Oposição tenta ganhar tempo ao manter Rui candidato ao governo

É uma boa estratégia, mas pode não passar disso. Rui Palmeira, não deu nenhum sinal de que tenha mudado de planos, mesmo depois de ter participado do jantar promovido pelo ministro Maurício Quintella, no último final de semana, com os caciques dos partidos que apoiaram a campanha de reeleição do prefeito em 2016.

Amigos e assessores mais próximos do prefeito não acreditam que ele será candidato no próximo ano. Pelo menos não ao governo.

A informação que circulou – inclusive aqui – de que Rui Palmeira estaria animado para disputar a vaga de governador em 2018, não significa nada até que ele se pronuncie.

O prefeito mantém o que já havia dito antes: só vai falar de 2018 em 2018. Bancar sua candidatura agora é uma boa estratégia dos partidos para ganhar tempo e evitar o esvaziamento.

Sem um nome para enfrentar Renan Filho, que deve ir para a reeleição no próximo ano, o grupo que está reunido em torno de Rui Palmeira hoje – incluindo partidos como DEM, PSDB, PR, PP, PROS e PDT – corre o risco de desidratar antes do tempo, dificultando não só a formação de um palanque majoritário, mas também a construção de chapas proporcionais.

Com a expectativa de que Rui Palmeira poderá ser candidato, a história é outra. Se ele não for, a busca por um substituto à altura fica para o próximo ano. Até lá, a oposição segue construindo seu palanque, sem maiores riscos de baixas.


Edivaldo Júnior

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa