“Prefeitura de Maceió não tem dinheiro para tapar buracos”, alfineta secretário

Enquanto o governo de Alagoas segue realizando obras e anunciando novos investimentos, algumas prefeituras agonizam.

Em Maceió, as dificuldades financeiras começam a ser percebidas por toda a população, em função da rápida proliferação de buracos pelas ruas da capital, nos últimos.

O problema, claro, foi agravado pelas chuvas.

Mas as dificuldades, pelo que se sabe, são crescentes e a equipe do prefeito Rui Palmeira não esconde que será preciso conter gastos, para evitar o pior.

Quem chamou a atenção para as dificuldades de caixa da prefeitura, foi o secretário da Fazenda do Estado. Em entrevista ao programa Ministério do Povo, da Rádio Gazeta, ao radialista Rogério Costa, George Santoro falou sobre a importância do ajuste fiscal em todas as áreas do governo.

O secretário repetiu o que tem dito há alguns meses: “o governo estadual fez o dever de casa”.

É fato. Alagoas tem hoje, como se sabe, “reservas” para fazer investimentos e mantém as contas em dia.

“Por essa razão temos caixa e fazemos investimentos, diferente de Maceió que depende de Brasília até para tapar buracos”, afirma Santoro.

O “exemplo” do secretário, claro, pode ter repercussão política, mesmo que não tenha sido a intenção, como parece que não foi, do secretário. Mas com as “diferenças” entre o prefeito e o governador, a leitura será outra. É claro que também terá “resposta” apropriada da equipe de Rui Palmeira.

Mas ao menos assim saberemos de fato qual a realidade financeira da prefeitura de Maceió.


Edivaldo Júnior

Descrição do autor

Victor Spinelli

Ainda não há comentários.

Participe da conversa