Balança comercial tem melhor 1º semestre em 29 anos com superávit de US$ 36 bi

O Ministério da Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou nesta segunda-feira (3) que a balança comercial registrou superávit (exportações maiores que importações) de US$ 36,21 bilhões no primeiro semestre deste ano.

O resultado representa o maior superávit para este período desde o início da série histórica do MDIC (1989), ou seja, o melhor resultado para o primeiro semestre em 29 anos. Até então, o maior saldo positivo havia sido registrado no ano passado (US$ 23,65 bilhões).

Segundo o governo, nos primeiros seis meses deste ano, as exportações somaram US$ 107,71 bilhões, com média diária de US$ 868 milhões (alta de 19,3% sobre o mesmo período do ano passado).
As importações somaram US$ 71,49 bilhões, ou US$ 576 milhões por dia útil (aumento de 7,3% em relação ao mesmo período de 2016).

O valor registrado nas exportações é resultado de dois fatores: quantidade exportada e o preço do produto.
No primeiro semestre de 2017, a quantidade de produtos exportados subiu 1,8% na comparação com o ano passado, mas o preço dos produtos brasileiros ficou bem maior: 17,6%.

Mês de junho

Os dados oficiais mostram que o mês de junho também registrou superávit. No mês passado, as exportações superaram as importações em US$ 7,19 bilhões.

Com isso, foi o melhor junho desde o início da série histórica. Também foi o segundo melhor mês de todos, perdendo apenas para maio deste ano – quando o saldo positivo somou US$ 7,66 bilhões.

Segundo o governo, as exportações somaram US$ 19,78 bilhões em junho e, com isso, tiveram um aumento de 23,6% sobre o mesmo mês de 2016. A média diária de exportações, por sua vez, somou US$ 942 milhões.
Os produtos básicos, semimanufaturados e manufaturados registraram aumento de vendas nesta comparação, informou o Ministério da Indústria.

Os dados do governo mostram também que as importações continuaram subindo. No mês passado, avançaram 3,3%, na comparação com junho de 2016, para US$ 12,59 bilhões. A média diária de importações somou US$ 599 milhões em maio.

Cresceram, no último mês, as compras de combustíveis, bens intermediários e bens de consumo, mas recuaram as importações de bens de capital (máquinas e equipamentos para produção).

G1

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa