RF também vai para a oposição a Temer e pode deixar Marx Beltrão em “saia justa”

Pelas redes sociais, o governador Renan Filho elogiou o discurso de rompimento do senador Renan Calheiros com Michel Temer: “Ato de coragem e independência do senador Renan Calheiros mostra, mais uma vez, seu compromisso com o povo brasileiro, especialmente dos Estados mais pobres e o trabalhador. Estamos juntos!!!”

Não há outra opção. Ao acompanhar Renan, o governador vai para a oposição a Michel Temer.

Não é uma decisão fácil para um governador de Estado pobre, que depende muito do governo federal. Mas Renan Filho, ao que parece, está preparado para o novo “momento”.

A decisão do governador, no entanto, tende a criar um novo cenário, separando no plano estadual as forças políticas que ainda apoiam Michel Temer dos que defendem o afastamento.

Em torno do grupo de Rui Palmeira estão os caciques que seguem – ainda que provisoriamente – apoiando a “governabilidade”.

Resta saber se a divergência nacional será “replicada” no plano local.

No ano passado, o voto de Renan Calheiros pelo Impeachment, foi o estopim que levou ao rompimento do PT de Alagoas com o governo do Estado.

A mudança de posicionamento na política nacional pode afetar a aliança do governador RF e seu grupo com o ministro do Turismo, Marx Beltrão, que trabalha para manter Temer onde está.

Nada impede “hoje” que a aliança no plano local seja mantida. Mas se Michel Temer se segurar na presidência, não será fácil a um ministro se manter próximo politicamente de quem faz oposição ao governo.


Edivaldo Júnior

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa