Congresso Brasileiro de Assessores de Comunicação da Justiça debate Gestão da Comunicação

O vice-governador de Alagoas e secretário estadual de Educação, Luciano Barbosa, representou o governador do Estado, Renan Filho, na solenidade de abertura do XXIII Congresso Brasileiro de Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), na noite desta quarta-feira (28), na sede da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal). O evento, que conta com a participação de mais de 200 congressistas, debaterá, nesta quinta (29) e sexta (30), o tema Gestão da Comunicação: da rotina operacional à dimensão estratégica.

As conquistas da imprensa após o período da Ditadura Militar e a necessidade de criar meios dos três poderes se comunicarem com a sociedade foram destacadas por Luciano Barbosa, que explicou como uma boa assessoria de imprensa pode beneficiar tanto a população quanto o assessorado.

“Quantas vezes eu sou pressionado pelo pessoal da minha assessoria de comunicação para dar informações e depois percebo que eles estão absolutamente certos. Muito vale a comunicação para aqueles que estão no Poder Judiciário, Executivo e Legislativo e sem vocês é muito difícil de passar as informações para a sociedade. Portanto, quero que vocês discutam aprofundadamente como aprimorar essa comunicação”, disse.

O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), desembargador Otávio Leão Praxedes, destacou a importância da divulgação das ações do sistema de Justiça para uma sociedade informada e consciente de seus direitos e deveres.

“A cada ano, o volume de informações do Judiciário alagoano só cresce nos veículos de comunicação locais, imagino que nos estados que vocês trabalham seja semelhante. O fato é que cerca de 90% dos conteúdos divulgados (externamente), são produzidas pela Diretoria de Comunicação do TJ/AL, que divulga nossas decisões, muitas vezes em tempo real”, explicou o presidente.

Comunicação para preservar direitos dos cidadãos
O presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, desembargador James Magno Farias, que, além de magistrado é jornalista, acredita que a informação proporciona meios de preservar os direitos dos cidadãos.

“É importante que a Justiça, a Defensoria Pública e o Ministério Público sejam instituições dotadas desses mecanismos de comunicação. Vivemos uma fase onde a comunicação é indispensável. A sociedade precisa saber como o Judiciário, Ministério Público age, saber a importância da Defensoria Pública e principalmente em um país em que temos necessidade de informação”, revelou.

Para o presidente do Fórum Nacional de Comunicação e Justiça (FNCJ), Edney Martins, é necessário que a contribuição do congresso não seja passageira para os participantes dessa edição.

“Muito pouco tem se falado sobre a comunicação pública e o Fórum pretende dar maior visibilidade ao rico material produzido pelas assessorias. Somos mais de 200 inscritos representando a imensa rede que é o sistema de Justiça, pautando nossas ações no interesse dos jurisdicionados e em uma comunicação efetiva”, explicou.

O desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza, diretor da Esmal, o procurador-geral da Justiça do Ministério Público de Alagoas (MP/AL), Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, a presidente em exercício do TRT de Alagoas, desembargadora Vanda Lustosa, o procurador chefe do Ministério Público Federal (MPF), Gino Servio Malta Lobo, o advogado Rodrigo Ferro e o presidente executivo da Associação Brasileiras das Agências de Comunicação, Carlos Henrique Carvalho, fizeram parte da mesa de honra.

Programação: gestão estratégica da comunicação
Aline Castro, responsável pela programação do evento, destacou que o objetivo é “dar aos congressistas ideias das ferramentas, uma visão geral da importância de se fazer uma gestão integrada e cada vez mais estratégica no âmbito das instituições”.

Nesta quinta (29), a partir das 8h30, o jornalista e relações-públicas Jorge Duarte palestrará sobre o tema “Gestão da Comunicação: Da rotina operacional à dimensão estratégica”. Já às 10h30, haverá o painel sobre “Comunicação organizacional: O que falta para que alcancemos a dimensão estratégica?” com os comunicólogos Wilson da Costa Bueno e Adryana Almeida.

No período da tarde, serão ofertadas três oficinas sobre Facebook, Storytelling e Design Thinking. Por volta das 17h, será realizado o segundo painel do dia, sobre gestão de conteúdo em comunicação.

Na sexta-feira, às 8h30, os congressistas assistirão à palestra de Vladimir Netto, repórter da Rede Globo e vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). O tema apresentado será “Bastidores da Lava-jato: redes sociais e o pronunciamento das fontes no caso de maior repercussão do Brasil”.

Em seguida serão exibidos os projetos finalistas do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça 2017. Às 11h será realizado o painel “Como gerir adequadamente o relacionamento com os públicos de interesse”, com Anna Gomide e Viviane Mansi.

As reuniões setoriais, nas quais os assessores são divididos por área de atuação no sistema de Justiça, serão realizadas a partir das 14h30. A plenária acontece às 16h. E por último, às 21h haverá a Solenidade de Entrega do Prêmio, no Armazém Uzina.
Premiação para finalistas em 14 categorias
Durante o congresso, serão exibidos os três finalistas das 14 categorias que serão premiadas nessa edição do Conbrascom. Luciano Andrade, vice-presidente do FNCJ e coordenador do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça 2017, disse que foram 271 inscritos neste ano, enquanto em 2016 foram 170.

“Cada categoria tem critérios específicos. É comum ter nas categorias inovação, as práticas que são mais inovadoras, avaliar também a comunicação com o público externo”, explicou.

Celso Gomes, assessor de imprensa do TRT do Acre e ex-presidente do Fórum, falou sobre o trabalho que é organizar um evento como o Conbrascom. “É uma honra estar na 13ª edição de um evento que tem contribuído muito para a comunicação pública do país e é um orgulho vir de Rondônia. A gente sabe o trabalho que dá para realizar um evento desses e a importância de ter aqui mais de 200 congressistas”.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa