Fórum debate regularização da cultura do camarão em Alagoas

A definição de um processo simplificado de regularização de empreendimentos que trabalham com a cultura do camarão em Alagoas foi o tema principal da segunda edição do Fórum Estadual de Aquicultura, realizado nesta quarta-feira (28), pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri).

Durante a reunião, que teve a participação de técnicos da Seagri, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Codevasf, Piscicultura Du Bosque, produtores e Associação dos Criadores de Camarão de Alagoas (Accal), foi apresentada a demanda do Instituto do Meio Ambiente (IMA), para a simplificação do licenciamento ambiental para a prática da carcinicultura.

Na avaliação do presidente da Accal, Alfredo Pereira, o encontro foi de fundamental importância para a consolidação da carcinicultura em Alagoas, bem como para uma relação mais estreita entre os órgãos governamentais que lidam com a atividade.

O professor da Ufal e engenheiro de Pesca, Luciano Amorim, apontou a necessidade de reativação do Congresso Estadual da Agricultura, bem como da realização de um macrozoneamento que apresente os pontos geográficos favoráveis da Zona Costeira, no sentido de potencializar a atividade e atrair empresários.

Além disso, o professor solicitou uma ação intinerante, em conjunto com o IMA, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Seagri e Ufal, para apresentar um “check list” do processo de licencimento aos produtores que necessitam regularizar seus empreendimentos.

O representante da Piscicultura Du Bosque, Gustavo Araújo, afirmou que Alagoas tem grande potencial, e que, mesmo diante da seca, a piscicultura ainda é um dos melhores mercados a serem explorados, com vendas dentro e fora do Estado.

Como explica o assessor especial da Seagri, Edson Maruta, o propósito do Fórum é trabalhar a possibilidade de simplificar a regularização, buscando diretrizes que facilitem para os empreendedores. “O Fórum tem como objetivo reunir os atores dos setores da aquicultura para uma discussão conjunta, visando a diversificação das atividades agropecuárias do Estado”, disse o técnico.

Uma nova reunião acontecerá na primeira quinzena de julho, onde o Instituto do Meio Ambiente (IMA) apresentará uma nova resolução da Zona Costeira.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa