Chuva chega com atraso para a cultura da cana

Ao contrário do que se imaginava, o volume de chuva registrado em Alagoas não será suficiente para recuperar a produção de cana no Estado.

De acordo com Edgar Filho, presidente da Asplana, uma parte expressiva da socaria dos canaviais foi perdida com a seca. “O que não brotou, não nasce mais. Então, a chuva está sendo boa. Mas, os índices pluviométricos que eram importantes ocorrer no momento do rebroto cana, no período de dezembro e janeiro, não existiram”, afirmou.

Para o presidente da Asplana, a chuva que acontece, neste momento, na região canavieira de Alagoas, é importante para assegurar apenas o crescimento da planta e a produção de semente.

“A gente achava que não teria semente. Mas, com as chuvas registradas desde maio passado essa perspectiva mudou. Por isso, é preciso a ajuda do Governo do Estado na liberação do adubo para ajudar no plantio”, afirmou Edgar Filho.

Segundo ele, a meta da Asplana é que o produtor possa investir no canavial. “É um ano de decisão onde o fornecedor precisa decidir se vai continuar ou não no setor. O produtor familiar, que tinha 500 toneladas de cana, este ano, não terá nada. Se ele não conseguir plantar, no próximo ano ele não terá cana”, alertou.


Assessoria

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa