Com sinais de “desistência” de Rui Palmeira, oposição procura candidato para enfrentar RF

Se antes era dúvida, agora já é dado quase como certo de que o prefeito de Maceió, não vai partir para o confronto com Renan Filho em 2018.

Rui Palmeira não desistiu da vontade de ser governador. Mas tem dado sinais claros, inclusive para seus mais próximos aliados, de que deixar o projeto para outro momento.

Mesmo saindo fortalecido politicamente das eleições de 2016, quando ganhou no segundo turno contra o candidato do PMDB (Cícero Almeida), Rui Palmeira enfrenta dificuldades esperadas e inesperadas no começo da gestão: greve de servidores, aperto financeiro e uma cidade cheia de buracos, por conta das chuvas.

Afora isso, projetos de financiamento internacional para realização de obras continuam parados ou em marcha pra lá de lenta.

O prefeito parece, nesse momento, querer cuidar do que tem que cuidar: a gestão da cidade. Deixa, como já avisou, a decisão sobre 2018, para 2018.

Em meio a esse cenário crescem as especulações de que o grupo que dá sustentação a Rui Palmeira já está em busca de outro nome para enfrentar Renan Filho no próximo.

Além de Rui Palmeira, alguns nomes tem sido lembrado para o “sacrifício”, entre eles os deputados federais JHC (PSB) e Ronaldo Lessa (PDT).

Mas ao que tudo indica os dois vão para a reeleição em 2014. Lessa, escaldado de outras eleições majoritárias, trabalha para preservar a vaga. JHC, apesar do bom desempenho na capital, no ano passado, não deve correr o risco de ficar sem mandato. Com um futuro promissor na política, ele tem sido orientado por amigos a evitar um tropeço em 2018 que poderia precipitar o fim de sua carreira.

Afora Rui Palmeira, a oposição parece ter dificuldades de encontrar um nome viável, com disposição de disputar com Renan Filho. Não é para menos. O atual governo tem boa aceitação e promete, para o próximo ano, a conclusão de obras e projetos importantes, o que deve fortalecer a sua candidatura à reeleição.


EDIVALDO JÚNIOR

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa