Por aumento para servidor, RF adiou projeto de pagar folha “dentro do mês”

O governador Renan Filho chegou a pensar em adiar o reajuste geral para o servidor público do estado por mais alguns meses para colocar em prática uma vontade dele e de sua equipe econômica: pagar toda a folha de pessoal dentro do mês trabalhado.

Não é – ao contrário do que pode parecer – nada simples encolher o calendário de pagamento, que hoje começa normalmente no último dia do mês para a primeira faixa. A segunda faixa normalmente é paga no dia 10 do mês seguinte.

Para mudar esse calendário, que já está em vigor no governo de Alagoas há mais de uma década, seria necessário – na avaliação da equipe econômica do governo – um esforço financeiro de mais de R$ 120 milhões.

Mais de 60% dos servidores ativos e inativos do Estado estão na primeira faixa (salários de até R$ 2.340). Apesar disso, o maior volume de pagamento – cerca de dois terços do valor da folha – é destinado à segunda faixa, que contempla os servidores com maiores salários.

A decisão pelo reajuste de 6,29% para o servidor foi pessoal do governador. Ele tinha vários estudos em mãos, incluindo percentuais menores e a “antecipação” da folha.

A lógica do governador foi a de recompor as perdas da inflação e beneficiar todos os servidores. A antecipação, embora trouxesse benefícios para a economia do estado, atenderia uma parcela menor de servidores.

O governador, segundo assessores mais próximos, continua trabalhando no projeto de “antecipar” a folha.

Se os números permitirem, é provável que o estado comece a fazer isso de forma escalonada já a partir do segundo semestre deste ano.

Uma possibilidade é aumentar gradualmente o valor de pagamento da primeira faixa.

A outra é fazer o pagamento integral dentro do mês trabalhado por categorias, até atingir o conjunto dos servidores.


Edivaldo Júnior

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa