Convênio com a Casal vai atender 77 municípios com saneamento e abastecimento

O Governo do Estado e a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) anunciaram, neste mês, Convênio de Cooperação Mútua para o Plano de Investimento da empresa em 2017. A parceria garante o investimento de R$ 100 milhões em obras, ações e serviços desenvolvidos pela empresa em 77 municípios alagoanos.

Essa medida contribui com um momento histórico registrado dentro da Companhia, marcado pelo fim de uma era de déficit financeiro e por um novo ciclo de desenvolvimento e melhorias dos serviços de saneamento. “A Casal, que estava quebrada e passou a ser superavitária, é um bom exemplo de gestão, fruto da mudança de postura nas ações do Governo”, destaca o governador Renan Filho.

Segundo o presidente da Casal, Clécio Falcão, o Plano de Investimentos da empresa sempre foi uma das metas do governo estadual. “O governador Renan Filho fez o desafio: se a Casal investisse R$ 50 milhões em 2017, o Estado investiria outros R$ 50 milhões”, lembra.

A ideia é simples e foi anunciada desde o início da atual gestão: para cada real investido pela Companhia em serviços de saneamento, o Estado aporta mais um real de contrapartida. Essa cooperação será intermediada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), responsável pelo acompanhamento e fiscalização das obras.

“Com a implantação do convênio, daremos celeridade às obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário em mais da metade do Estado de Alagoas. Estamos prontos para colaborar com a Casal na garantia da redução dos prazos e obtenção de recursos”, ressalta a secretária de Estado da Infraestrutura, Aparecida Machado.

O Plano de Investimentos para 2017 prevê a utilização de R$ 19,5 milhões no Sertão, R$ 8 milhões na Bacia Leiteira, R$ 23,7 milhões no Agreste, R$ 18,8 milhões no Leste alagoano, R$ 14 milhões na região Serrana e R$ 16 milhões em Maceió, perfazendo o total de R$ 100 milhões.

Esses recursos serão utilizados em implantação, melhorias e recuperação de sistemas de abastecimento de água, adutoras, redes de distribuição, reservatórios, estações elevatórias, captações, reformas e estações de tratamento de água.

Os investimentos também serão aplicados em construção de poços; interligação a reservatórios; implantação de Distritos de Medição e Controle; aquisição de conjuntos de motobombas; ampliação e melhoria do laboratório de água e esgoto; implantação de redes coletoras de esgoto; aumento de sistemas de esgotamento sanitário; e melhorias no Emissário Submarino da capital.

Entre os municípios que serão beneficiados destacam-se Murici, Inhapi, Messias, Maragogi, Junqueiro, Palmeira dos Índios, Paulo Jacinto, Piaçabuçu e Maceió.

Evolução da Casal

A Companhia de Saneamento de Alagoas saltou do prejuízo de R$ 53,8 milhões, registrado em 2014, para o lucro de R$ 7,5 milhões, em 2016. As mudanças também foram refletidas no saldo de rentabilidade da empresa – que partiu de R$ 11 milhões negativos em 2014, para R$ 50 milhões positivos em 2016.

De acordo com Clécio Falcão, o desempenho é fruto de uma série de medidas para a recuperação da empresa, adotadas em parceria com o Governo de Alagoas, como redução de despesas, revisão de contratos, reequilíbrio tarifário, redução de perdas físicas e comerciais, assim como o aumento real de arrecadação.

“O incremento na arrecadação veio da substituição e implantação de 123 mil hidrômetros; das ações de fiscalização, principalmente nas grandes adutoras; do parcelamento de débitos com juros e correção; e das ações de renegociação dos débitos, que contemplam, inclusive, as prefeituras – a exemplo de Palmeira dos Índios, que foi a primeira a renegociar seus débitos.


Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa