Sebrae e Senai articulam novo projeto dentro do Brasil Mais Produtivo

Voltado para aumentar a produtividade em indústrias de pequeno e médio porte através de mudanças no processo produtivo, o Programa Brasil Mais Produtivo (B+P) está sendo aplicado com sucesso no estado, liderado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) com apoio do Sebrae em Alagoas. Uma reunião na última semana, porém, marcou o primeiro passo de uma ação a ser liderada pelo Sebrae com 40 pequenas indústrias dos segmentos de confecções, alimentos e bebidas e móveis, em Maceió e Arapiraca.

A reunião em questão foi realizada na última sexta-feira (09), entre o gerente da Unidade de Indústria (UIND) do Sebrae em Alagoas, Everaldo Figueiredo, e o coordenador do Brasil Mais Produtivo (B+P) no estado, Tiago Castro, do Senai. Na ocasião, Everaldo apresentou a proposta que o Sebrae está estruturando – com previsão de finalização para o fim de julho – e deve pôr em ação a partir de setembro, com 24 meses de execução. Esse projeto visa continuar o atendimento e capacitações no B+P no estado de Alagoas, uma vez que a ação atual, conduzida pelo Senai com 40 empresas, será encerrada em dezembro.

O Programa Brasil Mais Produtivo é uma iniciativa do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) que visa aumentar a eficiência do processo produtivo em indústrias de pequeno e médio porte através da promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto. A metodologia aplicada é a da “manufatura enxuta”, que envolve a redução de sete tipos de desperdícios: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos.

De acordo com Tiago Castro, o B+P em Alagoas tem 70% do projeto executado e já pôde aferir, em 30 das 40 empresas trabalhadas, um ganho médio de produtividade acima de 100%, redução no custo de produção em 20% e diminuição da movimentação no chão de fábrica em 65%. “A ferramenta da manufatura enxuta, além do ganho em produtividade, proporciona um conhecimento sobre gestão da fábrica que muitas empresas não têm. O acesso à ferramenta e à consultoria ofertado pelo Senai permite que o empresário enxergue melhor seu processo produtivo”, revelou Tiago.

É esse tipo de ganho em competitividade e redução de custos que o Sebrae em Alagoas espera proporcionar às 40 pequenas indústrias de confecções, alimentos e bebidas e móveis, segmentos que já são trabalhados em projetos e atendimentos específicos. Essa continuidade do trabalho será possível graças a uma parceria entre o Sebrae Nacional, MDIC e a Confederação Nacional das Indústrias (CNI).

“O Senai já conduz o Brasil Mais Produtivo no estado, mas vai encerrar o projeto no fim do ano. Esperamos começar a execução desse novo projeto em setembro, coordenado pelo Sebrae e voltado para as pequenas indústrias, para dar continuidade às ações do programa no estado”, reforçou Everaldo Figueiredo.

O gerente da UIND revelou outros detalhes do planejamento do Sebrae em Alagoas dentro da proposta do Brasil Mais Produtivo. “Teremos, na próxima reunião, em 04 de julho, na Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), a presença de algumas empresas para que possamos apresentar o projeto, fazer essa divulgação para começarmos, de fato, em setembro”, informou.

Iniciativa e metodologia

O Brasil Mais Produtivo é uma iniciativa do governo federal executada pelo Senai, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), com a parceria do Sebrae e apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Ele consiste na realização de consultoria tecnológica in loco, de 120 horas por empresa, para elaboração de diagnóstico de processos, propostas de melhorias para obter ganhos de produtividade, redução no custo de produção e monitoramento de implementação e resultados. O total investido em cada empresa é de R$ 18 mil reais, dos quais R$ 15 mil são aportados pelos realizadores do programa.

Até o final de 2017, o Brasil Mais Produtivo espera atender três mil empresas industriais em todo o país e aumentar em 20% sua produtividade. Até o início deste mês de junho, 709 empreendimentos já concluíram a consultoria e, destes, 51,89% conseguiram atingir a meta de crescimento de produtividade.

Mais informações e dados sobre resultados atingidos por indústrias que já concluíram o programa podem ser encontrados no site www.brasilmaisprodutivo.gov.br.


Agência Sebrae

Descrição do autor

Tatiane Gomes

Ainda não há comentários.

Participe da conversa