CPLA salienta compromisso nos pagamentos do Programa do Leite

Em uma nova e importante fase, o Programa do Leite em Alagoas mais uma vez consegue se reinventar e levar dignidade aos pequenos produtores de leite e livrar dezenas de famílias da fome. Resistente a recessão econômica, o Programa, que protagoniza papel propulsor na atividade leiteira, segue estável, com pagamentos e fornecimentos honrados.

A política de valorização adotada pelo governador Renan Filho é motivo de alegria para os pequenos produtores organizados pela Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas, principalmente aqueles afetados pelos efeitos da estiagem prolongada no Nordeste. A Instituição reitera a importância dos esforços do executivo para manter a produtividade do homem do campo.

“A retomada do setor começa com esse modelo de trabalho presente e compromissado que foi empreendido pelo governo. Sem isso, após a seca, que tornou inviável tirar leite, não seria possível pensarmos em inclusão produtiva. Agradecemos o cuidado e efetividade das ações para com a manutenção do trabalho do agricultor familiar”, salientou o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro em nome dos produtores e Associações da CPLA.

Também é motivo de satisfação para a CPLA o trabalho conjunto com a gestão do Programa coordenada pela Secretaria de Agricultura. “É importante trabalhar dentro da nossa realidade. A equipe do Programa do Leite tem sido um importante aliado para evitar o desaceleramento do Programa em meio a crise. Estamos firmes e confiantes na continuidade do Programa, com a certeza da remuneração e avanço”, pontuou.

Sobre o Programa

Nem só de leite sobrevive o programa. Ao longo de seus 15 anos de operação em Alagoas, desde sua face municipal, o produtor de leite viu seu rebanho aumentar e o volume de leite triplicar após os serviços de assistência técnica, reprodução animal e custeio de insumos.

Apesar do decréscimo no volume produtivo e registro de ausência temporária de produtores, como resultado indigesto da seca, o Programa ainda alimenta a esperança de dias melhores no cenário pós-seca pelo preço fixo em meio as inconstância do mercado.

Atualmente o governo do Estado coleta 50,5 mil litros, coletados quatro vezes por semana, no valor de R$ 1,28 pago ao produtor por litro. Famílias dos 102 municípios são atendidas com distribuição gratuita do leite.


Assessoria CPLA

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa