CPLA integra projeto de expansão da cadeia do leite em Cajueiro

A força do agronegócio do leite de Alagoas está prestes a também transformar realidade produtiva no município de Cajueiro. Com o declínio das atividades canavieiras na região, responsável por empregar centenas de pequenos agricultores, o Município decidiu repensar sua atividade rural e resolveu oferecer condições estruturante para instituir uma nova baceia leiteira de ordem agrícola familiar.

A viabilidade do projeto de expansão da cadeira foi discutida na última quinta-feira,8, num evento, na Câmara de Vereadores de Cajueiro, com a participação de produtores interessados a ingressar no setor, prefeitura e parceiros. A alternativa produtiva apresentada contou com 100% de aprovação dos agricultores familiares.

“Estamos entusiasmados com esse projeto que tem tudo pra dá certo e resgatar a nossa atividade no campo, emprego e renda. Estávamos passando por um dos momentos mais críticos, com perda de roças, mas acredito em uma nova vida produzindo leite. Vamos abraçar essa oportunidade”, relatou o produtor Genésio dos Santos durante a reunião.

O projeto terá seu ponto de partida com a exploração de linhas de crédito – apresentados na ocasião pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste – para que os agricultores possam adquirir matrizes de potencial genético para começo imediato de coleta de leite.

“Constatamos a presença forte da bovinocultura na Região e associamos aos impactos positivos que o leite tem gerado aos índices socioeconômicos nos municípios. Iremos viabilizar a atividade sob o prisma da sustentabilidade frente a capacidade de abastecimento dessa mesma produção pelo mercado, sua distribuição e competitividade com objetivo de recuperar a produtividade do setor no município”, informou o prefeito de Cajueiro, Palmery Melo.

Além da viabilidade de crédito com linhas específicas, os produtores também receberão apoio do governo do Estado para o melhoramento genético dos animais e contarão com o trabalho da Cooperativa de Produção de Leite de Alagoas (CPLA) para organização das Associações de Produtores e orientação assistência técnica.

“Sem dúvida a cultura do leite vem para fortalecer toda a região do Vale do Paraíba e ativar a competência da agricultura familiar para a pecuária leiteira desses pequenos produtores. Soma a favor dos produtores a questão de clima favorável, orientação e estrutura necessária para que consiga-se viver do leite”, pontuou o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro, que também enfatizou a importância da filosofia associtivista e cooperativista para coordenar as ações.

Novo ciclo

O ciclo produtivo da cadeia de Cajueiro terá seu ponto final com escoamento, industrialização e comércio do leite por meio da Fábrica de Laticínios e unidade Agroindustrial Renascer, reaberta recentemente. A unidade possui capacidade de processar 30 mil litros de leite e entra em funcionamento com o status de rota oficial de recebimento do leite para operação de programas sociais, como o Programa do Leite.

Wilson Amaral, proprietário do Laticínio Renascer ressalta a expectativa positiva da nova bacia leiteira. “Vejo como um grande reforço para o volume de leite da região. A fábrica não medirá esforços para atender as demandas da cadeia de Cajueiro”, revelou Amaral.


Assessoria CPLA

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa