ATR de maio em Alagoas ultrapassa o de Pernambuco

O presidente da Asplana, Edgar Filho, ressaltou que o ATR do mês de maio em Alagoas, apesar de ter registrado uma pequena queda em comparação a abril, foi superior ao de Pernambuco, respectivamente, R$ 0,7633 e R$ 0,7469.

“O nosso ATR ultrapassou o de Pernambuco que usa a cana padrão de R$ 119, enquanto nós R$ 114. Mas, são os indicadores é que valem. É um ponto positivo indicando que o nosso ATR está mantendo um preço bom para os fornecedores”, destacou o líder dos fornecedores de cana de Alagoas.

De acordo com ele, apesar da tendência de ocorrer quedas nos próximos meses, a esperança do setor é que ocorra uma nova variação positiva de preço, no final do ano, com uma possível redução da safra da cana em São Paulo. “Poderemos ter uma alta que, se for confirmada, poderá chagar a um preço tão bom ou maior que o registrado no ciclo passado que já foi considerado muito bom”, afirmou.

Em maio, o Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar e Etanol dos Estados de Alagoas e Sergipe (Consecana-AL/SE), com base em dados divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada/ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/ Universidade de São Paulo (CEPEA/ESALQ/USP), apontou que os produtos que fazem parte do mix da cana registraram tanto alta, quanto redução de preços em relação a abril.

Tiveram aumento de preço, o etanol hidratado com o metro cúbico subindo de R$ 1.805,34 para 1.811,37 e o saco de açúcar VHP exportado para o mercado americano que passou de R$ 97,98 para 99,06.

Já o açúcar VHP comercializado com o mercado mundial praticamente manteve o mesmo preço registrado em abril subindo de R$ 73,40 para R$ 73,89.

Por outro lado, registraram queda de preço o açúcar cristal que caiu de R$ 80,17 para R$ 77,01 e o etanol anidro que passou de R$ 1.851,28 para R$ 1.818,45.


Assessoria

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa