AL é primeiro do país a usar método internacional para avaliar administração fiscal

Entender as próprias limitações, aperfeiçoar processos bem sucedidos e implementar novidades para garantir um padrão de qualidade nos serviços prestados. Pensando nesses quesitos a Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL) promove nesta segunda-feira (5) até o dia 9 de junho a capacitação Tax Administration Diagnostic Assessment Tool (TADAT).

Trata-se de uma metodologia desenvolvida pelo Banco Mundial em parceria com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e diversos países para avaliar os principais componentes do sistema de administração fiscal de uma nação. Pela primeira vez a ferramenta será apresentada em português e no Brasil. Alagoas sai na frente mais uma vez. O governador Renan Filho participa do lançamento, às 14h30, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Jaraguá.

“É um piloto. Até então o Tadat só havia sido aplicado em inglês e espanhol. Depois que conhecemos essa metodologia em um congresso fizemos um contato inicial para apresentar o trabalho que a Sefaz vem fazendo”, conta o secretário especial da Receita Estadual Luiz Dias. Segundo ele, os esforços do Fisco alagoano conversam diretamente com os indicadores que a ferramenta utiliza para traçar resultados. “A atual gestão está sempre em busca de inovação, é o que imprimimos na secretaria.”

Eficiência e eficácia operacional, garantia da exatidão das informações prestadas, pagamento de obrigações, transparência e prestação de contas são alguns dos parâmetros que o TADAT possui para avaliar. Ao todo são 47 dimensões de mensuração que traçam um diagnóstico completo e administrável.

“Nunca fomos avaliados por uma entidade externa, internacional, então isso vai possibilitar a criação de um plano de ação para executar melhorias”, explica o secretário especial. A capacitação será dividida em duas etapas. Na primeira, cerca de 50 coordenadores e chefes da Fazenda serão treinados para conhecer melhor a ferramenta e como ela funciona. “Num segundo momento, ainda sem data agendada, uma avaliação será aplicada. Essa primeira etapa é importante para que se entenda sobre critérios e conceitos utilizados pelo TADAT”, diz Luiz Dias.

Além de facilitar a coordenação da gestão e o acompanhamento eficaz do progresso de atividades e projetos desenvolvidos pela Sefaz, o diagnóstico que será apresentado pelo TADAT ao fim da avaliação servirá para identificar pontos fortes e fracos no sistema. “Com essa metodologia teremos meios para saber no que focar. Teremos noção de quais pontos são mais relevantes para aplicar mudanças ou não.”


Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa