Conab faz novo leilão de frete de milho para o Nordeste

Mais um leilão de frete de milho será realizado, na sexta-feira da próxima semana (2), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para abastecer unidades que oferecem suporte a pequenos criadores cadastrados no Programa de Vendas em Balcão (PROVB). O leilão prevê o transporte de 22,4 mil toneladas de milho em grãos para a Região Nordeste, onde o produto é comercializado ao preço subsidiado de R$ 33 a saca de 60 Kg.

O milho a ser transportado está estocado em Mato Grosso e terá como destino diversos municípios: a capital, Maceió (2 mil t), e Palmeira dos Índios (3 mil t) em Alagoas; Campina Grande (5 mil t), Patos (3 mil t) e Monteiro (2 mil t) na Paraíba; Petrolina (2 mil t), em Pernambuco; e Floriano (1 mil t), Parnaíba (2 mil t), Picos (489,7 t) e Teresina (2 mil t), no Piauí.

O preço com subvenção foi autorizado pelo Conselho Interministerial de Estoques Públicos (CIEP) e está previsto na Portaria Interministerial Nº 780, publicada no dia 7 de março, no Diário Oficial da União. De acordo com a portaria, pequenos criadores e agroindústrias de pequeno porte do Nordeste podem adquirir até 10 toneladas de milho por mês, limitadas ao consumo de seu plantel.

Além das remoções para o Nordeste, a Conab pretende contratar, por meio do mesmo leilão eletrônico, frete para enviar 2,5 mil t de milho em grãos para Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Mas, nesse caso, não se aplica o preço subvencionado. O valor de venda é calculado quinzenalmente, tendo como referência o mercado atacadista local, sendo, o limite por criador, de 14 toneladas por mês.

O Programa de Vendas em Balcão permite que pequenos criadores de aves, suínos, bovinos, caprinos, entre outros, incluindo microagroindústrias de beneficiamento e produção de ração, adquiram o produto dos estoques públicos sem intermediários. Para comprar o milho pelo Programa, é necessário registro prévio no Cadastro Técnico do Programa de Vendas em Balcão da Conab.


Agência Brasil

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa