12º Vaquejada e Trabalho fatura mais de R$ 866 mil com venda de plantel exclusivo

Sem tempo ruim para crise nacional, o Leilão Vaquejada e Trabalho, realizado no último sábado,20, mostrou que o mercado do quarto de milha galopa de rédeas soltas no Nordeste. O remate faturou o montante de R$ 866.300,00, e obteve uma média de R$ 17.173,33 com a venda de 45 lotes da seleção dos Haras Porto Rico e CPMF.

O lance a lance começou quando o garanhão Super Fred HPR subiu ao taterssal para a oferta de vendas de cobertura. Jovem revelação do Haras Porto Rico, de apenas quatro anos, impressionou pelo porte e agradou pela genética herdada da família Eternaly Fred. No total, 22 coberturas dele foram adquiridas por R$ 93.500,00.

“A estrutura desse animal, tão jovem e desenvolvido, demonstra o trabalho de aprimoramento genético e preservação de uma genética rara hoje o mercado. Nele corre o sangue do maior produtor de vaquejada, que é o mito Eternaly Fred”, comentou a promotora Marla Tenório, responsável pelo lançamento nacional do garanhão na linha de reprodução.

Em 2017, para comemorar os 60 anos de criação dos dois Haras, os promotores Celso Pontes de Miranda e Marla Tenório mantiveram suas apostas em animais de produção. Nessa edição, a dupla se desafiou a colocar uma tropa exclusiva , só com animais dos dois criatórios, com o melhor da genética de ambos. Potros, potras, matrizes e éguas com prenhezes positiva, das mais variadas heranças genéticas, estrelaram a noite.

A égua MALICIA TWO CPMF, um filha de Eternal TWO, valorizada em R$ 48 mil, foi a recordista do Leilão. Já o posto de segundo animal de maior cotação ficou com cavalo LUGER PLAYBOY HPR, negociado pela bagatela de R$ 25,5 mil. O total de 24 fêmeas e 21 machos foram vendidos na 12ª edição do Vaquejada e Trabalho.

Celeiro de craques

Com a casa cheia de quartistas de todo Nordeste, amigos e novos clientes prestigiaram o Leilão que aconteceu no Parque da Pecuária em Maceió/AL.

O criador Leonardo Paiva, do Rio Grande do Norte, elogiou o alto nível da tropa: “estamos de falando de uma marca conhecida em todo Brasil e premiada pelo belo trabalho. Vejo nos lotes tudo aquilo que os criadores procuram no conjunto animal: morfologia, porte, pelagem, ossatura e ganho genético”, testemunhou.

O promotor Celso Pontes de Miranda Filho se diz honrado pela confiança que o mercado deposita no Vaquejada e Trabalho. “É muito gratificante constatar que os animais que saem daqui se destacam entre os melhores da vaquejada e provas de tambor. Isso prova nosso compromisso e responsabilidade em trabalhar com genética atualizada e própria para o esporte”, enfatizou CPMF.

Celeiro de craques, os Haras CPMF e Porto Rico já iniciaram os preparativos para edição de 2018. “A seleção de matrizes, potras e potros já começam a ser idealizada. Mais uma vez ofertaremos o nosso melhor do QM ”, comenta o assessor do remate, Ayrton Lins, que também possui a missão de separar os animais com potencial para leilão.


Assessoria

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa