PF faz operação em imóveis ligados a Aécio e até em gabinetes no Congresso

BRASÍLIA, MINAS E RIO – A Polícia Federal (PF) está na manhã desta quinta-feira em diferentes endereços ligados ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PSDB. A operação se estende ainda aos gabinetes no Congresso do próprio Aécio Neves, Zeze Perella e Rocha Loures e à residência de Andréa Neves, irmã do senador. Os imóveis de Aécio são localizados no Lago Sul, em Brasília; em Ipanema, no Rio de Janeiro; e em Anchieta (MG). Ele também tem uma fazenda no município de Cláudio, no interior de Minas.

Segundo uma testemunha que acompanha a ação da PF, o senador Aécio Neves está na sala de sua casa em Brasília já trajando camisa e calça social e conversando com os policiais federais que estão dentro da residência.

Em BH, uma viatura com cinco agentes chegou por volta de 6h desta quinta-feira. A movimentação na delegacia da PF em Belo Horizonte começou por volta de 4h. Não há ninguém no imóvel e os agentes aguardam chegada de um chaveiro para poder entrar na residência.

Em Ipanema, no Rio de Janeiro, a Polícia Federal está no prédio do senador acompanhada de representantes do Ministério Público (MP). Um chaveiro foi chamado para abrir o apartamento e um funcionário do hotel ao lado foi chamado como testemunha. Da rua, três agentes são vistos vasculhando a sala do apartamento do senador na manhã desta quinta-feira.

A operação também se estende a mandados de busca e apreensão em três gabinetes do Congresso: de Aécio Neves, Rodrigo Rocha Loures e Zeze Perella.

A OPERAÇÃO

A operação da Polícia Federal foi deflagrada a partir da delação da JBS, revelada pelo GLOBO. Nela, Aécio Neves aparece pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da empresa que é a maior exportadora de proteína animal do mundo, sob a justificativa de que precisava da quantia para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato.

A fazenda do senador, localizada em Cláudio, no interior de Minas Gerais, também é alvo de mandado de busca e apreensão. Ainda há uma equipe da PF em outra fazenda em Cláudio, esta pertencente a Frederico Pacheco de Medeiros. Primo e homem de confiança de Aécio, ele é apontado como responsável por receber R$ 2 milhões dos donos da JBS a pedido do tucano.

Aécio Neves já responde a sete inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) em decorrência da operação Lava-Jato.

Em nota, o senador afirmou que a relação com Joesley Batista era “estritamente pessoal” e sem envolvimento com o setor público. O parlamentar afirma ainda estar tranquilo em relação aos seus atos.


O Globo

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa