Para garantir empregos, governo de AL recorre a empréstimo de R$ 600 milhões

Em plena crise, o governador Renan Filho definiu uma estratégia ao mesmo tempo arrojada e arriscada para garantir a geração de empregos em Alagoas: ampliar os investimentos realizados pelo estado na realização de obras consideradas estruturantes.

As obras realizadas pelo estado até agora, a exemplo do recapeamento, reconstrução e duplicação de rodovias ou construção de novos hospitais tem sido realizadas com recursos próprios e de convênios com a União.

Em 2016, segundo o secretário da Fazenda, George Santoro, os investimentos o estado com recursos próprios somaram cerca de R$ 600 milhões.

Para 2017 e 2018 o objetivo é dobrar os investimentos. “Para compensar a queda nos investimentos no setor privado, o objetivo do governo do estado vai realizar obras estruturantes. O governador definiu grandes obras, principalmente no setor viário, que vão encurtar distâncias e melhorar a infraestrutura de Alagoas. Com isso, vamos gerar empregos, aquecer a economia e preparar o estado para a retomada da economia”, adianta Santoro.

Para ampliar a capacidade de investimentos, Alagoas deve recorrer a empréstimos que já estão sendo negociados com bancos nacionais. “Devemos concluir a operação de financiamento até o meio deste ano. O estado pode contratar financiamentos de até R$ 620 milhões, operações que já estão dentro da capacidade de endividamento de Alagoas e já previamente autorizadas pelas instituições financeiras do governo federal”, aponta Santoro.

Na avaliação do secretário da Fazenda, o melhor momento para fazer a operação de financiamento é agora: “com uma situação financeira estável e com reservas em caixa podemos negociar taxas menores e prazos maiores com os bancos”, adianta.

Descrição do autor

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior

Edivaldo Junior é jornalista, colunista da Gazeta de Alagoas e editor do caderno Gazeta Rural

Ainda não há comentários.

Participe da conversa