Temer manobra para tirar Renan da liderança do PMDB, mas sofre derrota

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, ao que parece ainda vai dar muita dor de cabeça ao presidente Michel Temer. Crítico das reformas trabalhista e da Previdência tem incomodado o governo a ponto do Palácio do Planalto ter participado esta semana de manobras para lhe tirar da liderança do partido.

No primeiro embate, esta semana, o governo perdeu. Senadores do PMDB mais próximos de Michel Temer fizeram uma lista para tirar Renan Calheiros da liderança, mas só conseguiram 9 assinaturas das 12 que seriam necessárias.

Renan Calheiros continua na liderança pelo menos até a próxima semana, quando o grupo de senadores mais ligados ao governo deve fazer nova investida, segundo informações do blog de Andréia Sadi, jornalista que cobre política pela Globo News no Congresso Nacional.

Enquanto a queda de braços continua, Renan Calheiros vai perdendo aliados no governo. Esta semana, Michel Temer exonerou um dos últimos aliados do senador em cargos no governo. Segundo a coluna Radar, da Revista Veja, “passou batido, mas o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) perdeu mais um aliado no governo. Talvez um dos últimos. No começo da semana, Neusvaldo Ferreira Lima foi exonerado da Secretaria de Estruturação do Ministério do Turismo. Ele estava no cargo há três anos”.

Veja o que diz o Blog de Andréia Sadi sobre a tentativa de tirar Renan Calheiros da liderança do PMDB:

PMDB racha sobre apoio a Renan, e senadores não assinam manifesto

Senadores do PMDB se dividiram nesta quarta-feira (3) sobre o apoio a Renan Calheiros à frente da bancada de 22 parlamentares. Senadores ligados ao líder do PMDB colheram assinaturas para um manifesto de apoio, mas outro grupo se recusou a assinar o documento.

Os senadores insatisfeitos marcaram uma reunião na próxima semana para discutir o assunto.

Nesta quarta, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), foi acionado para tentar apaziguar os ânimos na bancada.

Ele foi procurado por senadores irritados com a condução de Renan à frente da bancada. O grupo alega que o líder não representa mais a bancada e quer sua troca.

Jucá também foi procurado ontem por Eduardo Braga, aliado de Renan Calheiros. Braga articulou o documento de apoio a Renan, e dizia que o manifesto tinha cerca de 10 assinaturas.

Para destituir Renan, senadores do PMDB precisam reunir a maioria dos 22 senadores.

Para demonstrar que não faz parte da articulação para destituir Renan, Jucá assinou o manifesto e levou o documento a outros colegas de bancada.

Porém, os senadores que têm feito críticas a Renan não aceitaram assinar. Eles querem uma reunião na semana que vem para discutir a manutenção da liderança de Renan, que transformou em um dos principais opositores do governo no Senado.

O líder tem feito duras críticas à pauta do ajuste fiscal, o que tem irritado o presidente Temer. A saída de Renan da liderança interessa ao Planalto, apesar de o discurso oficial ser de que o governo não vai interferir na articulação.

Leia aqui na íntegra: http://g1.globo.com/politica/blog/andreia-sadi/post/pmdb-racha-sobre-apoio-renan-e-senadores-se-recusam-assinar-manifesto.html
Veja o que diz a coluna radar:

Renan Calheiros perde mais um aliado no governo

Os moicanos caem um a um

Passou batido, mas o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) perdeu mais um aliado no governo. Talvez um dos últimos.

No começo da semana, Neusvaldo Ferreira Lima foi exonerado da Secretaria de Estruturação do Ministério do Turismo. Ele estava no cargo há três anos.

Ele deu lugar a Antônio Henrique Pires, ex-Funasa, afilhado político direto de Michel Temer. Pires foi presidente da Juventude Nacional do PMDB em 2001, na mesma época em que Temer assumiu a presidência do partido.

Leia aqui, na íntegra:
http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/renan-calheiros-perde-mais-um-aliado-no-governo/


Edivaldo Júnior

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa