IMA e Embrapa estudam infestação do ácaro-vermelho-das-palmeiras em Alagoas

O pesquisador Elio Guzzo, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), esteve, nesta quinta-feira (27), no Herbário MAC do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA), ministrando uma palestra sobre a presença de um ácaro vermelho que está infectando coqueiros e palmeiras em Alagoas.
A palestra serviu para estreitar uma parceria que já está em andamento entre o Instituto e a Embrapa, por meio do herbário. A parceria deve indicar a incidência do ácaro-vermelho-das-palmeiras (Raoiella indica) e elaborar planos de controle.

“A grande facilidade de dispersão do ácaro é preocupante. A ideia é descobrir como combater e se há possibilidade de infestação nas espécies nativas”, afirmou Rosângela Lemos, curadora do Herbário MAC.

Segundo Elio Guzzo, a dispersão do ácaro pode acontecer por meio de elementos naturais, como vento, de viajantes, vestimentas e transporte de material vegetal. “Um sintoma característico da presença do ácaro-vermelho-das-palmeiras é o coqueiro com um tom amarelado parecido com ouro velho”, afirmou.

Em Alagoas, o ácaro foi identificado originalmente em 2015 e desde então os órgãos têm feito estudos acerca desta praga. Verificou-se que esse ácaro causa a necrose da folha, que ao se espalhar resulta na morte da planta, reduzindo 70 a 90% da produtividade.

Para Elio Guzzo, a parceria com o IMA é importante para o bom encaminhamento da pesquisa. “O IMA, por meio do herbário, está contribuindo com o que não conseguimos fazer, que é a identificação do hospedeiro, auxiliando na coleta de palmeiras nativas, além de buscar se há possibilidade de atuação do ácaro em outras espécies nativas”, explicou.

O pesquisador ainda reafirmou sobre a importância natural do Herbário MAC como um registro oficial de referência no Estado.


Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa