“Desafio qualquer delator a provar que tratou de propina comigo”, desabafa Marcos Fireman

Ex-secretário de Infraestrutura do governo de Teotonio Vilea, Marcos Fireman, reagiu a divulgação feita aqui (http://wp.me/p6TEFy-3Tl) de trecho de delação da Odebrecht em que ele é citado em propina que teria sido negociada pela empresa por Ricardo Aragão – que atuava à época como assessor especial do governo.

Em texto enviado ao blog, Fireman diz que tem um nome a zelar e desafia qualquer delator a provar que tratou de propina com ele.

Leia o posicionamento de fireman, na íntegra:

Caro Edivaldo, Não consegui encontrar meu nome na lista de investigados, meu nome aparece em um depoimento que supostamente o Sr. Ricardo Aragão, Superintendente do Canal do Sertão na época teria falado em meu nome, situação a qual desconheço. Você acompanhou minha trajetória na Seinfra. Deixei o governo em Janeiro de 2014.

O contrato da Odebrecht estava apenas iniciando. Era o 4º trecho do Canal. Não foi na minha gestão que a Odebrecht executou a obra.

Quero ressaltar que minha passagem pela secretaria foi marcada por um trabalho sério. Desafio qualquer delator a provar que teve alguma tratativa comigo de propina ou qualquer outro tipo de ilicitude.

Essa estratégia deliberada de colocar a maior quantidade de pessoas nesse caso tem o objetivo de confundir a opinião pública e tentar desmoralizar pessoas de bem que contribuíram com o desenvolvimento do nosso estado com muito trabalho.

Sempre honrei o nome de minha família e durante 7 anos que passei pelo Governo nunca houve nada que desabonasse minha conduta.

Gostaria em nome da verdade, do respeito e carinho que tenho por você, que publicasse minha versão, meu patrimônio é o meu nome, e ele defenderei com a verdade de peito aberto, não tenho o que temer, mas não posso ser desmoralizado perante meu Pai e meus filhos com situações inverídicas.

Seu amigo é um homem de bem pode ter certeza disso.

Forte Abraço

Marcos Fireman

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa