Intenção de consumo em Maceió obteve variação positiva de 1,59 em dezembro

A pesquisa sobre a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de Maceió, desenvolvida pelo Instituto Fecomércio de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento de Alagoas (IFEPD – Instituto Fecomércio AL) em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aponta que o mês de dezembro apresentou variação positiva, no geral, no consumo dos cidadãos da capital alagoana.

A intenção de consumo obteve uma variação positiva de 1,59%, saindo de 87,9 pontos para 89,3. De acordo com o levantamento, as famílias com renda de até 10 Salários Mínimos (SM) puxaram esse aumento. Isso porque nessa faixa de renda o consumo foi 1,78% maior do que o registrado em novembro. Nas famílias que recebem mais de 10 SM houve uma ligeira redução de 0,20%, o que denota um grau de estabilidade sobre o consumo dos de maior renda.

A pesquisa aponta, também, que a segurança sobre o emprego ainda é um ponto frágil em uma economia em recessão, gerando uma redução de 1,1 ponto percentual (p.p.) sobre a sensação de maior segurança e um aumento de 0,8 p.p sobre a insegurança. “Embora esse tenha sido um ponto negativo, as perspectivas profissionais voltaram a melhorar, já que o ano de 2017 continua apresentando fortes indicativos de retomada de crescimento. O pacote anunciando ontem [22/12] sobre a reforma trabalhista poderá aumentar as ofertas de trabalho, contribuindo para um fortalecimento na segurança do trabalhador, já que haverá um peso legal nas discussões entre os sindicatos trabalhistas e os patronais sobre os aumentos de salários, férias, hora-extra, entre outros aspectos”, avalia o assessor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha.

Panorama

O acesso às diversas de crédito manteve-se estável, embora num patamar de baixo nível de satisfação, permanecendo estável com 11,8% e uma redução de 4,9 p.p. em relação às dificuldades de acesso ao crédito. Houve um aumento apenas na relação de igualdade de acesso (1,1 p.p.).

Refletindo a ideia das pesquisas de intenção de consumo específica para o Natal, de que haverá aumento de 1% das vendas de final de ano frente ao mesmo período do ano anterior, os maceioenses indicaram que nesse mês de dezembro estão comprando 1,6 p.p. a mais. O Instituto Fecomércio estima que dezembro deve fechar com inflação de 0,48%, ocasionando um crescimento real de 1,12% das vendas natalinas.

A pesquisa demonstra que houve melhora na intenção de consumo de bens duráveis em 1,5 p.p., indicando que os maceioenses irão utilizar uma boa parcela de seu décimo terceiro na aquisição de celulares, geladeiras, fogões e outros tipos de produtos duráveis. O consumo deste natal deve ser, pelo menos, 1,2% maior em relação ao do ano passado.

Segundo o especialista, para os próximos seis meses as perspectivas de consumo são positivas, especialmente no mês de janeiro devido aos produtos necessários como material escolar, fardamentos, roupas novas. A expectativa é que janeiros o consumo aumente em 0,2 p.p.. “As perspectivas de consumo para o próximo semestre sinaliza que 60,9% dos consumidores acredita que comprará menos; enquanto que 27,3% acreditam que irão comprar mais. Essa percepção reflete a política econômica em curso e a variação de preços que desencadeiam a inflação”, observa Felippe.

Fonte: Ascom Fecomércio/AL

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa