Maceió tem primeira sessão de cinema adaptada para autistas

Maceió terá a primeira sessão de cinema adaptado para crianças e adolescentes com distúrbios sensoriais e suas famílias. A Sessão Azul, pioneira no Nordeste, está sendo promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por meio da Coordenação Geral de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, para que funcione como uma extensão ao trabalho terapêutico realizado com a criança e o engajamento dos pais no processo de tratamento.

Durante toda a exibição do filme, os 160 meninos e meninas que são atendidos por instituições que realizam um trabalho especial – junto com o público autista do município e são conveniadas com a Semas – poderão assistir ao filme em uma sessão especial, com as luzes acesas, o som mais baixo e com liberdade para andar, dançar, gritar ou cantar à vontade.

“A proposta é que estas sessões adaptadas de cinema para crianças com distúrbios sensoriais e suas famílias, funcionem como uma espécie de treinamento para as crianças na adaptação ao ambiente do cinema e isso seja a extensão do trabalho terapêutico já realizado”, explicou a coordenadora de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Semas, Aline Damasceno.

Ainda de acordo com a coordenadora, durante a sessão, é feito o acompanhamento e orientação às famílias com profissionais devidamente capacitados para auxiliar as crianças na adaptação ao ambiente do cinema. O auxílio também é dado aos pais sobre como lidar com as dificuldades de adaptação da criança ao novo ambiente.

A secretária de Assistência Social de Maceió, Celiany Rocha, destaca que o trabalho de inclusão social promovido pela Prefeitura de Maceió sempre se destacou pela ousadia do planejamento de ações que têm o objetivo de causar um grande impacto em favor das diferenças.“Além do Praia Acessível, da Sessão Azul e dos inúmeros projetos de inclusão social que trabalham, junto com a sociedade, a aceitação e o reconhecimento das diferenças, nós que fazemos o poder público sabemos o quanto projetos como esses se tornam ainda mais importante para as famílias dos usuários, que muitas vezes sofrem, junto com eles, o preconceito”, comentou.

A secretária destacou ainda o trabalho diário nos equipamentos sociais de Maceió para multiplicação das lições de inclusão. “Nossa intenção é fazer com que as famílias atendidas pela Assistência Social se tornem muito mais cientes e capacitadas para buscar os direitos que são delas e multipliquem este conhecimento com a comunidade”, completou a gestora.

A Sessão Azul acontece nesta terça-feira (31), às 10h, no Centro Cultural Arte Pajuçara, localizado no bairro de Pajuçara, com a exibição do filme Minions. Participam da sessão adaptada, crianças e familiares da Associação Pestalozzi, da Associação dos Pais e Amigos dos Autistas de Alagoas (Assista) e da Família Alagoana Down (FanDown). A sessão é gratuita e os ingressos podem ser adquiridos através do telefone (82) 3315-7133.

Sessão Azul

O projeto Sessão Azul é uma iniciativa de três psicólogas do Rio de Janeiro, especialistas no tratamento de crianças que apresentam distúrbios sensoriais que após anos escutando, observando e vivenciando experiências de famílias de pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Elas identificaram vários casos em que as famílias muitas vezes deixavam de ter um convívio social maior por receio ou em, alguns casos, até vergonha da reação do autista em situações que para ele talvez não sejam tão confortáveis, como, por exemplo, ir ao shopping, restaurantes, frequentar festas ou ir ao cinema.

Com isso, começaram a procurar opções de lazer para estas famílias e identificaram que existem poucas opções de entretenimentos especializados voltados para famílias envolvidas com TEA na cidade do Rio de Janeiro.

Tomando por base a mesma iniciativa do CineMaterna, as psicólogas decidiram iniciar a organização de sessões de cinema especialmente voltadas para pessoas com TEA e seus familiares em um ambiente customizado para tornar mais confortável a experiência de ir ao cinema.

Ascom Semas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa