SAMU: “De 60 ambulâncias, em Maceió, apenas oito funcionam”, denuncia deputado

A situação precária que atinge o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Alagoas foi alvo do pronunciamento do deputado Rodrigo Cunha (PSDB), durante a sessão ordinária da quarta-feira, 25. O parlamentar denuncia que o problema é tão grave que prejudica a qualidade do atendimento e põe em risco a vida, não só dos pacientes quanto dos profissionais que atuam no serviço. Rodrigo Cunha apresentou uma indicação apelando ao Governo do Estado que adote as medidas necessárias para solucionar a questão. O deputado chegou a realizar visitas as bases do Samu, tanto em Maceió como em Arapiraca, onde teria encontrado problemas de toda ordem.

O parlamentar lembrou que o serviço prestado pelo Samu já foi considerado de excelência devido a forma estratégica com a colocação de unidades de serviços a cada 30km para dar suporte. “Hoje, infelizmente, não é mais essa realidade. O serviço passa por uma situação calamitosa, que é demonstrado em dois aspectos: primeiro pelo dos profissionais, que encontram dificuldades em situações elementares como a falta de esparadrapo, luvas, gazes e até situações de proteção de equipamentos individuais”, denunciou Cunha, citando como segundo ponto crítico a desativação de unidades, por falta de profissionais como as péssimas condições das viaturas que se encontram quebradas e sem manutenção.

“De 60 ambulâncias, que estão a cargo de Maceió, apenas oito estão funcionando. Esse número por si só já demonstra a urgência de um olhar diferencial, principalmente da Secretaria de Estado da Saúde”, observou Rodrigo Cunha, acrescentando que aliado a isso, a frota de motolâncias é antiga, com ciclomotores com sete anos de uso, gerando insalubridade para os profissionais. “Não se pode deixar um serviço desse como está e colocando em risco a vida não só de quem está precisando do serviço, mas de quem vai realizá-lo”, concluiu.

Ascom ALE/AL

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa