SMS registra casos de doenças causadas pelo Aedes aegypti

A Coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou o Boletim Epidemiológico (Semana 19), que aponta que até o dia 21 de maio foram registrados 1.947 casos de dengue em Maceió. O 2° Distrito Sanitário é o que aparece com maior incidência de casos, 168,15 casos/100mil hab, destacando-se os bairros da Pajuçara, Pontal e Centro. No mesmo período em 2015 foram notificados 1.309 casos da doença.

Em 2016, foram notificados 23 casos graves de dengue, destes, dois foram descartados, 17 estão sob investigação e um confirmado no Tabuleiro do Martins (7º Distrito Sanitário – DS). Nesse período, também foram confirmados seis casos de dengue com sinal de alarme, que ocorreram nos bairros Gruta de Lourdes (3ºDS), Serraria (5ºDS), Benedito Bentes (6ºDS), Cidade Universitária e Santa Lúcia (7ºDS).

Até o momento, foram notificados nove óbitos suspeitos de dengue, um confirmado no Pinheiro (3ºDS), seis descartados e dois estão sob investigação. As amostras são analisadas pelo Laboratório de Pesquisas em Virologia e Imunologia (Lapevi) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Alagoas (Lacen).

Zika Vírus

Em 2016, foram notificados 3.876 casos suspeitos, destes, 30 são de gestantes, sendo relevantes os 1º, 2º, e 7º Distritos Sanitários. As unidades notificadoras foram Pediatria 24hrs, Ambulatório Noélia Lessa, Santa Casa de Maceió, Hopital Unimed, MPS Assis Chateaubriand, HEHA, US Vale do Pitanguinha, HGE e HUPAA/ Ufal.

Chikungunya

Em 2016, 1129 casos foram notificados, sendo 13 graves, 50 confirmados por laboratório, 364 por critério clínico-epidemiológico e os demais em investigação.

É considerado caso suspeito de febre chikungunya paciente com febre de início súbito maior que 38,5ºC e artralgia (dor em uma ou mais articulação do corpo) ou artrite intensa de início agudo, não explicado por outras condições. Nesses casos, o paciente deverá procurar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

Microcefalia

Até 19 de maio foram recebidos 77 casos suspeitos de microcefalia por infecção pelo vírus zika residentes em Maceió, destes, 35 foram descartados e 19 foram confirmados como microcefalia possivelmente relacionada ao zika vírus; não houve registro de óbito.

As principais unidades notificadoras são HUPPA/ Ufal, Hospital do Açúcar, Hospital Unimed, Maternidade Santa Mônica, Nossa Senhora da Guia, Nossa Senhora de Fátima, e Hospital Santo Antônio e Santa Casa de Misericórdia de Maceió.

Ascom SMS

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa