ONG colabora com os Jogos Olímpicos para a preservação da fauna nacional

Conscientizar os brasileiros para a necessidade de preservação e valorização da fauna nacional é o papel da organização não governamental (ONG) Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal (Arca Brasil) como colaboradora técnica oficial com a área de sustentabilidade dos Jogos Olímpicos do Comitê Rio 2016.

O presidente da ONG, Marco Ciampi, explica que a mascote olímpica, batizada de Vinicius por escolha popular, é composta de três elementos da fauna silvestre brasileira: a onça-pintada, a arara-azul e o mico-leão-dourado. Tão logo foi anunciada a escolha da mascote olímpica, segundo Ciampi, houve a necessidade de se fazer uma espécie de reconhecimento, inclusive na prática, a esses animais e a toda a fauna brasileira que, “em muitos aspectos, é carente”.

Essa interlocução é uma das colaborações que a Arca Brasil faz com o Comitê Rio 2016. Pesquisadores e especialistas indicados pela ONG vão conduzir a tocha olímpica representando os três animais integrados para criação da mascote dos Jogos. Para a fauna doméstica não ficar de fora, representada por cães, gatos, cavalos, porcos, entre outros animais, coube à Arca Brasil conduzir a tocha no último dia 18, no município de Serra (ES). A cidade enfrenta a leishmaniose, tida como principal zoonose do país. Transmitida pelo mosquito-palha, a doença avança pelos centros urbanos e ataca animais e pessoas.

A campanha da ONG intitulada Prevenção é a Melhor Solução busca conscientizar a sociedade sobre a importância de evitar a leishmaniose, uma vez que não existe ainda possibilidade de cura total para a doença, informou a Arca Brasil.

Marco Ciampi destaca também a cooperação com o Comitê Rio 2016, de modo especial, na parte ligada aos cavalos que participam de três provas olímpicas: hipismo salto, hipismo adestramento e concurso completo de equitação.

A ONG contribui com elementos técnicos também no que se refere à fauna silvestre encontrada em volta de áreas de competição, como o campo de golfe, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Ali podem ser vistas capivaras, quero-queros e até jacarés, disse Marco Ciampi.

Em relação ao Comitê Olímpico do Brasil (COB), Ciampi ressalta que a instituição também tem uma mascote do time Brasil, que é a onça-pintada Ginga. Ciampi diz que já está no site do COB um mapa, dividido pelos biomas brasileiros, mostrando onde são feitas ações em prol da preservação desse animal, que está ameaçado de extinção.

Agência Brasil

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa