Empréstimo devolve estabilidade financeira ao setor canavieiro em AL

Conselheiros do Sindaçúcar-AL reinteraram o compromisso assumido com o governador Renan Filho de utilizar parte dos recursos do empréstimo internacional, que foi autorizado pelo Governo Federal por meio da Medida Provisória 701, para pagamento das pendências existentes com fornecedores de cana e trabalhadores.

A operação de crédito, que ocorrerá por meio da liberação de cinco cotas americanas, será disponibilizada pelo Credit Swiss Bank. Um direito garantido aos usineiros por meio das exportações de açúcar do Brasil para os Estados Unidos.
Para que o processo tenha continuidade, os empresários aguardam agora a liberação de um decreto governamental para que cada unidade industrial se habilite a participar do processo.

“Esta operação será um divisor de águas que irá capilarizar recursos onde existir pendências. Afinal, a vida do fornecedor de cana e dos trabalhadores têm que voltar a normalidade que sempre existiu”, declarou o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, destacando o empenho do senador Renan Calheiros e do governador Renan Filho na liberação do “aval” para a concessão do crédito internacional por parte das usinas.

Segundo ele, em meio a uma crise financeira, o setor sofria com os efeitos da seca e dos preços baixos, além da promessa de uma subvenção que não vingou por conta do ajuste fiscal do governo federal. “A crise fez com que persistíssemos. Agora, com estes empréstimos, o setor passa por um novo resurgimento, ainda que tênue, das suas atividades”, afirmou Nogueira.
Na oportunidade, o governador Renan Filho destacou a importância da cultura da cana para Alagoas, lembrando que o setor mais importante da matriz energética do Estado e que vivia uma depressão aguda amargando os efeitos da seca e do controle dos preços dos combustíveis, além da falta de crédito para novos financiamentos.

“São três safras passando por dificuldades econômicas sérias. Com estes recursos será zerado o que ficou pendente e começar um novo ciclo. As empresas irão tomar estes empréstimos a preço de mercado e pagá-los. Industriais, fornecedores e trabalhadores, a partir de agora, vamos criar condições para um novo momento. Podem contar comigo neste processo”, afirmou o governador.
De acordo com o chefe do Executivo estadual, além de Alagoas, os Estados de Pernambuco e Paraíba também serão beneficiados pela operação de crédito que só pôde ser realizada graças a pela MP 701.

Participaram da solenidade, realizada no Palácio República dos Palmares, o superintendente do Ministério da Agricultura em Alagoas, Alay Correia, o superintendente da Conab em Alagoas, Eliseu Rego e o presidente da Federação da Agricultura em Alagoas, Álvaro Almeida, além do presidente da Asplana, Edgar Filho, e do presidente da Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool de Alagoas, José Ribeiro Toledo Filho, e da Coplan, Fernando Rossiter.

_

Assessoria

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa