Semas apresenta mapeamento social de Maceió a conselho municipal

A Secretaria de Assistência Social de Maceió (Semas) apresentou aos membros do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) o Plano de Apreciação da Definição dos Territórios da Proteção Social Básica (PSB) do Município. O trabalho, que apresenta o mapeamento das regiões que concentram a maior parte da população que se encontra em situação de vulnerabilidade na capital, vai servir de base para os novos investimentos da Semas nos próximos meses.

Em reunião extraordinária, no último dia 21, a equipe técnica da Coordenação Geral dos Centros de Referência da Assistência Social (CGCRAS), liderada pela assistente social Adriana Barros, apresentou toda a metodologia utilizada para a identificação dos territórios mais vulneráveis do município e suas respectivas necessidades sociais.

O trabalho, que durou cerca de oito meses, envolveu assistentes sociais, psicólogos e vários técnicos de referência dos Cras e dos Creas (Centros de Referência Especializados em Assistência Social) que conseguiram percorrer algumas áreas que apresentam índices de vulnerabilidade não satisfatórios e que já são acompanhadas por programas da Semas. Um dos objetivos da realização do mapeamento é a instalação de novos equipamentos, como os Cras, por exemplo, para uma maior aproximação dos usuários com os programas socioassistenciais, desenvolvidos pela Prefeitura de Maceió.

“Infelizmente, ainda existem famílias que não são acompanhadas pelas equipes dos Cras, pelo fato de morarem em regiões de difícil acesso ou que não são cobertas pelos Centros. Mesmo assim, a gente sempre esclarece que elas não são desassistidas, pelo contrário, nós temos equipes específicas que, graças a trabalhos de mapeamento, como esse, conseguem identificar territórios não cobertos para garantir que essas famílias sejam acompanhadas e participem dos programas sociais, sendo referenciada pelo serviço mais próximo”, lembrou Adriana.

Presente na reunião do CMAS, a secretária Municipal de Assistência Social, Celiany Rocha, destacou a importância do engajamento profissional das equipes responsáveis pelo Plano e ressaltou a importância do levantamento desses dados para o direcionamento dos investimentos que serão feitos nos programas de assistência às famílias.
“O mapeamento realizado com muito profissionalismo e dedicação, pelas equipes técnicas da Semas, não era realizado há um certo tempo e está sendo fundamental para o planejamento das metas que devemos alcançar, no que diz respeito ao resgate da autonomia das famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade na cidade. É um trabalho que faz parte da rotina dos serviços da Semas e que, a partir de agora, vai apontar para onde devemos apontar a seta da prioridade”, disse Celiany.

A presidente do CMAS, Izabel Impieri, se emocionou, durante a reunião, diante das lembranças, feitas pelos demais técnicos presentes na reunião, da logística do trabalho de mapeamento que fez com que os técnicos da Semas trabalhassem diuturnamente, percorrendo as regiões da periferia na realização de contagens domiciliares e de membros das famílias.

“Conheço muito bem a dificuldade que é realizar um trabalho tão complexo como esse. Já participei de um desses processos, durante uma época em que havia bastante carência de mão de obra de trabalho e de estrutura, no município, para que pudéssemos trabalhar. Não foi e nem é fácil, mas nós conseguimos, assim como vocês [técnicos da Semas]”, completou a presidente.
Ao todo, 40 territórios foram mapeados e o próximo passo é a intensificação dos acompanhamentos que já realizados nas regiões apontadas como de extrema vulnerabilidade. As famílias que moram nos locais apontados como vulneráveis estão inclusas nas atividades do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família.

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa