Horta do sistema prisional produz cerca de três toneladas de alimentos

O dia foi de colheita na horta do complexo prisional da Superintendência Geral de Administração Penitenciária (SGAP), no Tabuleiro do Martins. Só em abril deste ano, foram colhidas cerca de três toneladas de alimentos como macaxeira, frutas e verduras. Tudo distribuído nas unidades do sistema e utilizado na dieta de servidores e presos. O resultado reflete o trabalho de planejamento e dedicação dos reeducandos e dos funcionários envolvidos.

Além de uma tonelada e meia de macaxeira, foram colhidas cerca de duas toneladas de frutas e verduras, entre elas pepinos, tomates, pimentões, coentro, cebolinha, mamão e maracujá.

Todos os alimentos foram encaminhados ao Núcleo de Aprovisionamento, que procedeu a distribuição com a Cozinha Central e com as unidades do sistema que possuem cozinha em suas dependências.

A horta do sistema prisional é mantida e supervisionada pela Direção de Educação, Produção e Laborterapia e recebe assistência técnica de profissionais da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri). São 22 reeducandos que trabalham na horta e recebem salário em conta corrente.

“Além do dinheiro que eles utilizam para manter suas famílias, o preso que trabalha na horta pode reduzir o tempo de pena. Geralmente os reeducandos da horta têm alguma relação com o campo. Aqui eles aprendem novas técnicas e formas de produzir mais e melhor”, explicou a diretora de Educação Produção e Laborterapia, EvanyVianei.

A diretora de Laborterapia também destacou que a colheita de alimentos frescos é sempre bem-vinda pelos servidores e reeducandos. “Esses alimentos enriquecem a dieta e o sabor das refeições servidas, e isso é muito bom em todos os sentidos”, concluiu.

Agência Alagoas

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa