Brasil vence competição internacional de educação técnica

O Brasil conquistou ontem (6) a maior pontuação e o maior número de medalhas na World Skills Americas, competição de jovens técnicos profissionais do continente. A delegação brasileira, composta por 34 competidores, foi ouro em 25 modalidades, prata em quatro e ganhou uma medalha de bronze. O torneio reuniu, em Bogotá, quase 200 jovens de até 23 anos, vindos de 17 países americanos.

Foi o melhor resultado do Brasil no torneio, que está em sua terceira edição. Os jovens profissionais brasileiros provenientes dos serviços nacionais de Aprendizagem da Indústria (Senai) e do Comércio (Senac) participaram de provas realizadas desde quarta-feira (2) e terminaram as tarefas sábado (5). A comissão julgadora divulgou o resultado na manhã de hoje, em cerimônia de premiação.

Os vencedores estão classificados para a Word Skill Internacional que, no ano que vem, terá o Brasil como anfitrião. O melhor resultado geral no torneio americano foi alcançado por um brasileiro: Rafael Pereira, ouro na categoria Soldagem. Ele teve a maior nota global na competição, com 576 pontos de um total de 600.

A Agência Brasil conversou com dois brasileiros ganhadores de medalha de ouro. Juliana Almeida, 20 anos, vencedora na categoria Cabeleireiro estava confiante e bastante focada na prova – a primeira que ela disputou internacionalmente. Moradora de um assentamento rural em Mossoró, Rio Grande do Norte, ela estudou no Senac graças a uma bolsa de estudos destinada a famílias com renda de até dois salários mínimos. “Eu treinei até 12 horas por dia, vim preparada. O ouro é nosso!”, comemorou.

O campeão na categoria Instalação Hidráulica é de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul: Pablo Facchin dos Santos, 20 anos, é veterano em competições internacionais. No ano passado, ele representou o Brasil na World Skills Internacional, na cidade de Leipzig, Alemanha.

Ele era um dos favoritos para a prova e vencedor das Olimpíadas do Conhecimento no Brasil. “Competir assim é muito gratificante, aprendemos muito e conhecemos muitas pessoas. Para mim é um crescimento muito grande que vou levar para a vida toda”, disse à Agência Brasil.

O líder da delegação brasileira na competição, Marcelo Mendonça, acompanhou a evolução de Facchin e afirmou: “Esse garoto vale ouro!”. Mendonça destacou que os jovens que voltam de competições como essa tornam-se fontes de inspiração e de motivação para a educação profissionalizante.

“Não só isso, quem participa e conquista medalhas aqui, passa a ser disputado no mercado de trabalho”, acrescentou.

Agência Brasil

Descrição do autor

Bccom Comunicação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa