Bayer Brasil cresce 24% em vendas

A Bayer, multinacional alemã presente há 118 anos no Brasil e que completou seu 150° aniversário de fundação em 2013, teve novamente um ano de ótimos resultados no País. Somadas as atividades de suas três divisões de negócios no Brasil – CropScience (Ciências Agrícolas), HealthCare (Cuidados com a Saúde) e MaterialScience (Materiais Inovadores) – as vendas do Grupo no País alcançaram R$ 7,043 bilhões, crescimento de 24% em relação ao ano anterior.

“Em 2013 o Brasil passou a ser o quarto maior mercado para a Bayer globalmente, um marco bastante expressivo e que reforça a importância e o potencial do País. Estamos bastante satisfeitos com os resultados alcançados, principalmente por termos chegado a eles em um ano tão importante para a companhia. A boa performance da unidade brasileira foi impulsionada por produtos inovadores como Fox®, Xarelto® e Eylia®. A inovação faz parte do DNA da Bayer e acredito fortemente que é através deste quesito que podemos contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade”, ressalta Theo van der Loo, presidente do Grupo Bayer no Brasil.

CropScience
No Brasil, a Bayer CropScience apresentou crescimento de 41% em suas vendas se comparado a 2012, atingindo R$ 4,4 bilhões em 2013. O subgrupo representou 62,5% do volume de negócios do Grupo Bayer no País e entre os destaques estão soluções inovadoras que ajudaram os agricultores a produzirem mais e melhor no ano de 2013. Fox®, Belt®, CropStar® e o seu primeiro biológico, Serenade®, foram os destaques da unidade e conquistaram os produtores pelos resultados entregues em termos de eficiência.

O fungicida Fox® foi indicado pela pesquisa oficial brasileira como o melhor fungicida para a cultura da soja. Já o inseticida Belt® obteve êxito no controle das lagartas, principalmente da Helicoverpa armigera. O inseticida CropStar®, exclusivamente para a proteção de sementes, foi destaque por ajudar os agricultores no manejo de pragas que comprometem o desenvolvimento das plantas em sua fase inicial. E o fungicida/bactericida Serenade®, que chegou em 2013 para complementar o portfólio da empresa, sendo uma ferramenta para que o agricultor possa controlar doenças nas culturas da maçã, cebola e morango.

Também foi destaque da unidade CropScience em 2013, o anúncio de  importantes aquisições no segmento de sementes de soja no Brasil. Além da integração da SoyTech, adquirida em 2011, foi anunciada no ano passado a aquisição do banco de germoplasma da Agropastorial Melhoramento, com tecnologias para a região Sul do Brasil, e das empresas de sementes de soja Wehrtec, com tecnologias voltadas para o Centro-Oeste. Globalmente, a cultura da soja é estratégica para os negócios da Bayer CropScience e neste contexto o Brasil se destaca, por ser um dos principais produtores da commodity no mundo.

HealthCare
No Brasil, as vendas da Bayer HealthCare corresponderam a aproximadamente 23,5%  do total – atingiram R$ 1,65 bilhão, com crescimento de 2% em relação a 2012, incluindo exportações.

Em 2013, a divisão Pharmaceuticals manteve o bom desempenho das novas indicações do anticoagulante Xarelto® no País para o tratamento do tromboembolismo venoso e para a prevenção de acidente vascular cerebral (AVC) e embolia sistêmica em pacientes com fibrilação atrial, com crescimento de três dígitos. Xarelto® também já é comercializado desde 2010 para prevenção do tromboembolismo venoso (TEV) em pacientes adultos após cirurgia eletiva de substituição do quadril ou do joelho. Os demais produtos da Medicina Geral também contribuíram para a performance da Pharma. Produtos maduros como Aspirina Prevent®, Nebido® e Cipro® tiveram crescimento positivo.

A Bayer é líder no segmento de Saúde Feminina e sua fábrica, localizada em São Paulo, é a segunda maior unidade produtiva de hormônios sólidos (pílulas e comprimidos) do Grupo no mundo. No ano passado, Qlaira®, único contraceptivo oral com hormônio similar ao produzido pelo organismo feminino, cresceu cerca de 50%. Outros produtos como Allurene®, YAZ® e Mirena® tiveram uma boa performance.

Em 2013, a Bayer produziu cerca de dois bilhões de pílulas, o equivalente a 86 milhões de blísteres. Além de abastecer o mercado brasileiro, a Bayer exportou seus produtos para 42 países da América Latina e Ásia. Vale ressaltar que essa fábrica da Bayer foi responsável por cerca de 10% das exportações de toda a indústria farmacêutica instalada no Brasil.

A área de Medicina Especializada apresentou resultados bastante positivos, especialmente com Nexavar®, indicado para tratamento de câncer de rim e fígado, com um crescimento de dois dígitos. Em 2013, a companhia lançou no Brasil o Eylia®, para tratamento de degeneração macular úmida relacionada à idade avançada, em pessoas acima de 65 anos.

Para 2014, a Bayer espera a aprovação das autoridades de saúde do Brasil para o lançamento de Xofigo® (para câncer de próstata com metástase óssea) e de Adempas® (tratamento de hipertensão pulmonar), além de Jaydess®, um contraceptivo de longo prazo.

A Consumer Care apresentou um crescimento extremamente positivo de 38% em comparação a 2012. A linha de produtos Bepantol®, Redoxon® e Flanax® obtiveram excelente desempenho em vendas no País. O lançamento de Redoxitos® foi um sucesso de vendas.

A área de Radiologia & Intervenção com meios de contraste e equipamentos médicos obteve um crescimento de 4% em relação ao ano anterior. Diabetes Care manteve o mesmo desempenho de 2012, em um mercado com declínio geral.

Com um crescimento na ordem de 14%, a área de Saúde Animal no Brasil voltou a obter um desenvolvimento acima do mercado e conseguiu melhorar sua rentabilidade. No ano passado, consolidou os seus recentes lançamentos Baymec® Prolong, Baycox® Ruminantes e Glutellac®, além de trazer inovações ao mercado como o Grobig®, probiótico para aves, além do Vidasec®, pó secante para leitões.

O Brasil é um dos quatro centros de Farmacovigilância do grupo Bayer no mundo, composto por 150 profissionais brasileiros responsáveis por mais de 50% do fluxo de trabalho global. É o maior centro de Farmacovigilância do Brasil e da América Latina.

MaterialScience
No Brasil, a divisão MaterialScience registrou um crescimento de 5% em comparação a 2012, totalizando R$ 984 milhões. As vendas do subgrupo corresponderam a 14% do total do Grupo Bayer no País. A unidade de negócio de Poliuretanos apresentou crescimento nas vendas de 5%; a de Policarbonatos de 6%; e a de matérias-primas para revestimentos, adesivos e especialidades de 7%.

O resultado é atribuído principalmente à otimização dos processos na produção e ao aumento na aquisição de bens duráveis pelos brasileiros, nos quais a Bayer tem forte atuação no fornecimento de matérias-primas inovadoras. Para gerar um volume cada vez maior de negócios e agregar valor aos seus clientes, a Bayer adota como estratégia atender às demandas específicas do mercado, pesquisando e adaptando seus produtos e matérias-primas à medida que o mercado se transforma e busca por novas soluções.

Além das unidades fabris nos sites Cancioneiro e Socorro, em São Paulo, a Bayer Brasil possui um parque industrial em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, responsável pela fabricação de produtos para Saúde Animal, CropScience e MaterialScience.

Importantes objetivos de negócios alcançados em 2013
Globalmente, as vendas do Grupo Bayer cresceram 1% em 2013, atingindo 40,157 bilhões de euros – um novo recorde na história da empresa. Com ajuste cambial e de carteira, as vendas cresceram 5,1%. A Bayer atingiu importantes objetivos de negócios em seu ano de aniversário. Houve ímpeto na continuidade dos negócios de Life Science: a HealthCare alcançou bons resultados com seus produtos farmacêuticos lançados recentemente, enquanto a CropScience foi muito bem sucedida em um ambiente de mercado positivo. Os negócios de MaterialScience continuaram afetados por uma situação difícil do mercado global.

Inovação
O objetivo da Bayer é melhorar a vida de muitas pessoas em todo o mundo com produtos e soluções inovadoras. Por isso, a companhia investe constantemente em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D). No ano passado, a Bayer investiu 3,190 bilhões de euros em P&D, o equivalente a 7,9% das vendas em 2013 (2012: 3,013 bilhões de euros, equivalente a 7,6% das vendas registradas naquele ano). Para isso, emprega 13.700 colaboradores focados na busca por novas soluções. O subgrupo HealthCare foi o que mais recebeu investimentos, totalizando 64% do valor destinado a P&D em 2013.  Para 2014, há uma previsão de aumento no investimento em P&D, com expectativa de alcançar 3,5 bilhões de euros. No médio prazo, entre 2014 e 2016, a Bayer planeja investir, globalmente, 11,2 bilhões de euros em P&D.

Sustentabilidade como parte da estratégia corporativa
A Bayer é uma das primeiras empresas DAX 30 (relação das 30 companhias abertas de melhor performance financeira da Alemanha) a combinar seus relatórios anuais financeiros e de sustentabilidade. O resultado disso é o Relatório Anual Integrado de 2013. A Bayer reconheceu com antecedência que a companhia só conquistará um sucesso duradouro se mantiver o equilíbrio entre crescimento econômico e responsabilidade social e ambiental.

Alto investimento no Brasil em 2013
Em 2013, a empresa, que possui cerca de 4.500 colaboradores no Brasil – sendo 43% dedicados à área de saúde – investiu cerca de R$190 milhões no País, valor destinado a grandes iniciativas locais da companhia. “Investimos em pesquisa clínica; reforma de instalações e prédios; construção de novos laboratórios; desenvolvimento do EcoCommercial Building brasileiro, programa que prevê a construção de edifícios sustentáveis; além do investimento de R$ 5 milhões para a construção de uma ponte móvel, inaugurada em dezembro de 2013, que liga o site Socorro, onde está instalada a sede da empresa, à estação de trem em Santo Amaro. Este projeto contribui para reduzir a emissão de 300 toneladas de gás carbônico por ano, além da melhoria do trânsito na região. São mais de 15 mil pessoas beneficiadas diariamente”, conclui Theo van der Loo.

Em 2013, a Bayer Brasil foi eleita a melhor Indústria Química pela Revista EXAME (Melhores e Maiores) e uma das Melhores Empresas para Trabalhar pela Revista VOCÊ S.A.

Agrolink

Descrição do autor

Redação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa