Com previsão de chuva, tem início safra de cana

Começa oficialmente hoje, dia 1º de abril, a safra 2014/15 de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do Brasil com poucas notícias boas no campo climático. Depois de chuvas abaixo da média no verão, a meteorologia prevê para os primeiros dois meses de outono chuvas acima da média nas áreas canavieiras. As precipitações não são bem-vindas pois tendem a interromper a colheita e a moagem da cana.

Segundo a Somar Meteorologia, a região de Ribeirão Preto (SP), a mais tradicional sucroalcooleira do país, deve receber em abril 70 mm de chuvas, um pouco acima da média de 60 mm dos últimos 30 anos. O maior inconveniente para moagem deve vir em maio, quando são esperadas precipitações de 100 mm para essa região, ante uma média histórica de 40 mm.

“Até o fim de junho, o outono tende a ser muito semelhante ao de 2013, mas com menos invernadas, ou seja, períodos longos de chuvas”, explicou o agrometeorologista da Somar, Marco Antônio dos Santos. No entanto, disse ele, as chuvas vão ocorrer em dois ou três dias seguidos, de forma a interromper os trabalhos de colheita nas usinas.

O padrão das chuvas em Ribeirão Preto pode ser estendido às outras regiões canavieiras do Centro-Sul, segundo o agrometeorologista. “O nível de precipitações em relação à média histórica de cada região tende a ser semelhante”, disse.

Segundo dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), na safra 2013/14, encerrada oficialmente ontem, o aproveitamento de moagem foi de 72% do tempo disponível. O percentual inclui perdas de tempo devido à ocorrência de chuvas e também por problemas decorrentes da mecanização, como paralisação para limpeza do maquinário da usina.

Antes da mecanização da colheita, esse índice de aproveitamento era de 85%, afirma o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues. “As máquinas precisam de um intervalo maior de tempo seco após a chuva para entrar novamente no campo”, diz.

Para junho, a Somar prevê chuvas de 28 mm, praticamente dentro da média histórica para o mês, de 30 mm. O especialista da Somar lembrou ainda que o clima mais úmido tende a reduzir o níveis de açúcar contido na cana, o chamado ATR (Açúcar Total Recuperável). Ele acrescentou que neste momento ainda não é possível afirmar se há uma forte tendência de haver geadas no inverno, que começa no fim de junho.

Assessoria

Descrição do autor

Bccom Comunicação

Ainda não há comentários.

Participe da conversa